fbpx

Como construir uma boa relação médico paciente

Tanto para o profissional como para o paciente, é muito importante a boa relação entre médico e paciente, as vezes, parte fundamental em um tratamento.

Um bom médico, muito mais do que diagnosticar um problema, prescrever exames para diversas doenças, receitar medicamentos, recomendar e acompanhar tratamentos, precisa ter empatia, precisa exercer ao máximo a compreensão e a sensibilidade.

Embora subestimada ainda por muitos profissionais, a relação médico paciente pode fazer toda a diferença em um tratamento, afinal, estamos falando de vidas humanas. Um bom relacionamento entre médico e paciente traz segurança e facilita qualquer tratamento.

Porém, a verdade é que muitas vezes, apesar de constantes visitas e atendimentos, médicos ou pacientes não conseguem criar nenhum laço, o que, em alguns casos, acaba prejudicando o tratamento.

Mas, será que é simples construir uma boa relação médico paciente? Quais as melhores estratégias para uma aproximação com o paciente?

O fato é que essas questões são importantes e até hoje levantadas, e ainda um dos principais problemas para muitos médicos, por isso, pessoas que estudam Ciência Comportamental desenvolveram recomendações para uma boa relação médico-paciente, as quais mostraremos nesse artigo. Continue lendo.

Recomendações para melhorar a relação médico paciente

Recomendações para melhorar a relação médico paciente

Sem dúvida, um dos maiores desafios enfrentados pela classe médica é desenvolver a relação médico-paciente com sucesso, o que em um momento tão importante, como uma consulta médica, por exemplo, pode se tornar, realmente, um problema.

Infelizmente, essa é uma realidade que se tornou muito comum entre médicos e pacientes.

Se viajarmos um pouco no tempo, vamos nos deparar com a figura de um médico como quase um membro da família, geralmente, visitava os doentes em casa, medicava e fazia as recomendações necessárias. Depois, tranquilizava os familiares na sala, ouvia confidências, dava conselhos.

Infelizmente, se por um lado, com o tempo, ganhamos mais eficiência, sabedoria, tecnologia, por outro, perdemos em delicadeza e aproximação que, mesmo sem as técnicas rebuscadas de hoje em dia, podiam fazer muito em qualquer tratamento.

Por que, então, não pegar o que deu certo antes, que era essa delicadeza no tratar as pessoas, com a velocidade de diagnósticos possibilitada pela tecnologia?

Mas foi percebendo isso que muitos consultórios passaram a tratar o paciente não mais como um número, mas com a devida atenção que ele merece, um tratamento mais humanizado.

E é exatamente essa uma das premissas básicas da relação médico paciente: o atendimento humanizado.

Nesse sentido, veremos abaixo algumas estratégias que vão lhe ajudar a construir uma boa relação médico paciente:

1. Atenção logo no primeiro contato

Acredite, o primeiro contato médico paciente, embora indiretamente, começa ao agendar uma consulta.

Assim sendo, é fundamental contar com uma equipe devidamente preparada para lidar com o primeiro contato. Desde o atendimento até a recepção, todos devem estar em harmonia, visando a satisfação do paciente.

Calma, simpatia, cordialidade, rapidez e um tratamento individualizado ainda na pré-consulta são pequenos gestos que os pacientes consideram como diferenciais positivos na hora de optar por uma clínica ou um médico.

2. Estabelecer uma conexão com o paciente.

Estabelecer uma conexão com o paciente

O médico deve aproveitar o primeiro momento da consulta para tentar se conectar com o paciente, tentando saber um pouco mais sobre ele, por exemplo, perguntando sobre o que gosta de fazer, sobre filhos, família, e sempre ouvir atentamente a resposta, procurando interagir, respondendo e/ou fazendo contato visual e gestos.

Dessa forma, o médico poderá identificar como o paciente está emocionalmente, o que pode ser importante para o diagnóstico. Aos poucos, deve começar a mudar os assuntos até chegar na abordagem clínica.

Acredite, pode parecer algo sem importância, mas esses poucos minutos de conversa podem ser de grande importância para estabelecer uma boa relação.

3. Torne a consulta agradável

É preciso considerar que, muitas vezes, um paciente chega ao seu consultório após passar por tantos outros profissionais, e vem em busca de esperança ou de confiança.

É fundamental ouvir com atenção o paciente, olhar o paciente nos olhos e a tratá-lo como único, tornando todo atendimento individualizado.

O médico deve procurar estabelecer uma relação direta e humanizada com o seu paciente, passando confiança, fazendo do consultório um ambiente agradável.

4. Ouça o seu paciente

ouça o paciente

Muitas vezes é possível identificar problemas dos pacientes só pela forma como eles se encontram emocionalmente, o que, muitas vezes, os exames não acusam.

O que muitos profissionais subestimam, na verdade, pode fazer toda a diferença no resultado de alguns tratamentos, principalmente, aqueles mais complexos.

Assim sendo, ouvir o paciente é um dos primeiros e mais importantes passos para fortalecer a relação com ele. É preciso estar aberto a ouvir atentamente sobre tudo o que ele tem a dizer, além de responder a todas as suas dúvidas.

Mesmo que muitos pacientes resolvam contar toda a sua história de vida, em detalhes, mesmo assim, é fundamental demonstrar interesse e cuidado com eles.

5. Seja claro e objetivo na consulta

clareza e objetividade entre medico e paciente

É preciso considerar que nem todo mundo tem facilidade de compreender alguns tratamentos, até mesmo, por estar nervoso durante as consultas, por isso, é fundamental, ser muito claro e objetivo quando estiver conversando com o paciente se certificar de que o mesmo, realmente, entendeu.

E até quando algumas notícias forem difíceis de contar, é essencial que o profissional mantenha uma conversa franca e direta sobre qualquer assunto.

Por isso, é fundamental informar o motivo de todos os exames que estão sendo solicitados, assim como, os procedimentos que deverão ser feitos, explicar os termos médicos e procurar tirar toda e qualquer dúvida por parte do paciente, sempre com muita calma.

Enfim, todo o processo de um tratamento deve ser conduzido com muito cuidado, paciência e tranquilidade.

6. Seja Pontual

pontualidade consulta medico paciente

Claro que imprevistos acontecem, porém, é fundamental que isso não vire rotina, é preciso que o paciente se sinta importante.

Ninguém está livre de ter que correr para atender algum chamado urgente, ou uma cirurgia inesperada, ou mesmo, se estender em alguma consulta além do tempo pressuposto, porém, nesses casos, o paciente deve ser avisado.

E mais, vale considerar que nem sempre é simples o paciente se deslocar para chegar na hora da consulta, por isso, é importante se desculpar e explicar o motivo do atraso, pois para o paciente pode ter sido um grande incômodo.

7. Reserve tempo suficiente para cada consulta

tempo consulta medico paciente

Vale refletir sobre o número de consultas diárias e se elas, realmente, atendem às necessidades de seus pacientes, se possibilitam a atenção que é imprescindível à construção de uma boa relação médico paciente.

Por isso, vale a pena buscar um equilíbrio entre a quantidade de consultas do dia e o tempo disponível para cada uma delas, garantindo a qualidade no atendimento.

8. Demonstre otimismo e respeito

Demonstre otimismo e respeito ao paciente

É preciso considerar que todo paciente que é atendido está preocupado com sua saúde, muitas vezes, chega ao consultório perdido e desesperado. Por isso, é fundamental demonstrar empatia, oferecer alguma saída para seu problema, ou seja, fazer com que ele saia mais aliviado e confiante do que chegou.

Nunca deve ser esquecido o principal papel de um médico, o de oferecer assistência digna e de qualidade, e passar confiança e respeito é muito importante.

9. Use o humor

Acredite, o bom humor é capaz de verdadeiros milagres, muitas vezes, basta um sorriso para que um clima passe de pesado à leve. Sendo assim, use o humor a seu favor, pois ele pode ajudar a estabelecer uma conexão, a relaxar e até mesmo a transmitir informações sérias de uma forma mais tranquila.

Mas, atenção, embora esse conselho valha na maioria dos casos, é preciso considerar que algumas pessoas não possuem senso de humor, e se forçar pode deixá-las mais incomodadas.  Portanto, primeiro perceba o humor de seu paciente.

10. Ouça antes de fornecer o diagnóstico

relação paciente e medico

Por vezes a falta de tempo e o número de consultas agendadas por dia acabam por impedir que o médico possa ouvir o paciente com atenção, muito menos, demonstrar interesse pelo seu problema.

O fato é que ouvir o paciente é de fundamental importância para, só depois, então, definir o diagnóstico.

Infelizmente, essa conduta ainda é muito subestimada por muitos médicos, pois envolve tempo, mas a qualidade no atendimento precisa ser repensada, já que o ato de ouvir não significa apenas colher informações.

É fundamental adotar condutas que façam o paciente se sentir compreendido e confiante no profissional.

11. Fale a língua do paciente

Fale a língua do paciente

É importante ter em mente que um médico pode se deparar com pacientes das mais variadas classes, diferentes culturas, raças e contextos sociais, ou seja, desde pessoas com um bom nível de formação até aquelas analfabetas, exigindo um pouco mais de paciência e boa vontade na hora de dar o diagnóstico, de explicar o tratamento, técnicas, ou exames necessários.

Por isso, sempre procure usar aqueles termos que sabe que serão compreendidos pelo paciente, evitando usar palavras muito difíceis e de difícil compreensão, que só serviriam para que o paciente se sentisse inseguro e desconfortável.

Enfim, o diálogo deve ser o mais simples possível para facilitar a interação e evitar que o paciente se intimide e oculte informações relevantes que ajudariam a definir o diagnóstico.

No mais, nunca esqueça que a grande maioria dos pacientes é leiga e não está acostumada com a linguagem utilizada pelos profissionais da saúde.

12. Invista no relacionamento pós-consulta

relação medico paciente

Se quiser fidelizar um paciente e criar uma aproximação com o mesmo, vale apostar no relacionamento pós-consulta que, sem dúvida, contribui bastante para a construção de um relacionamento mais firme e duradouro.

E vale trocar mensagens para saber sobre o estado de saúde do paciente, acompanhando o progresso de sua recuperação e, dessa forma, aumentando as chances de retorno, caso surja alguma eventualidade.

Vale saber que mesmo que essas recomendações não tenham sido comprovadas juntas, todas foram baseadas em pesquisas e outros dados.

No mais, em um mercado cada vez mais competitivo, sem dúvida, essas são medidas que vão auxiliar no desenvolvimento e na construção de uma relação médico paciente mais sólida e duradoura e que, comprovadamente, vão influenciar no resultado de qualquer tratamento.

FICOU ALGUMA DÚVIDA SOBRE PROSPECÇÃO DE PACIENTES? AGENDE UM BATE-PAPO SEM COMPROMISSO.

× Chat WhatsApp