fbpx

Coworking para médicos: o que é e como funciona?

Você já ouviu falar em Coworking para médicos? Sabe do que se trata e como funciona? Pois é exatamente sobre isso que iremos falar agora. Continue lendo!

Se com a economia a pleno vapor montar um negócio próprio já era arriscado, imagina em meio a uma crise sem precedentes como a que vivemos…

Por conta disso, somado ao fato de que um consultório médico que seja eficiente e ofereça o que há de mais novo no mercado exige muito investimento, cada vez mais, profissionais da área da saúde estão apostando em um modelo de atendimento inovador baseado na coparticipação, o chamado Coworking para Médicos.

Com a crescente adesão de usuários, esses espaços de coworkings estão deixando claro que vieram para ficar e a tendência é encontrarmos cada vez mais esse modelo de atendimento.

Se por um lado muitos profissionais ainda preferem se arriscar, mas ter um espaço próprio, por outro lado, a grande economia gerada com esse modelo, vem conquistando cada vez mais profissionais da área da saúde que, de outra forma, não conseguiriam, tão cedo, ter seu próprio negócio.

Embora esse modelo possa atender a diferentes setores, no caso da área da saúde, os espaços precisam ser arquitetados com as devidas adequações para que as consultas possam ser realizadas.

Apesar de estar conquistando médicos de todas as especialidades, já com clientela formada, esse modelo vem conquistando, especialmente, profissionais  recém saídos da faculdade, justamente, por não precisar de grandes investimentos.

Para entender melhor o que é coworking para médicos, veja abaixo como esse modelo de atendimento funciona, e entenda porque se transformou em tendência mundial.

Afinal, o que é Coworking?

o que é um coworking?

Primeiramente, é preciso entender que Coworkings são ambientes que diversos profissionais, principalmente, autônomos e freelancers, utilizam para desempenhar suas funções, mas sem precisar se preocupar em alugar ou comprar uma sala específica.

Por toda a economia e praticidade, esse modelo está, cada vez mais, chegando a todos os setores e, claro, ao da medicina também.

Na verdade, esse modelo permite, a quem usufruir do espaço, pagar apenas pelo período que será utilizado. Por exemplo, se for trabalhar durante uma tarde, o valor pago a quem administra o coworking será referente a esse período, tornando o modelo uma possibilidade mais em conta para recém-formados.

Ou seja, o coworking é um espaço físico que pode ser compartilhado por várias empresas, profissionais liberais e freelancers, os quais irão dividir as despesas gerais, desde luz, aluguel, telefone.

E mais, é possível compartilhar várias áreas em comum, como refeitório, auditório, recepção.

Embora já plenamente consolidada nos Estados Unidos (precursor do modelo) e em diversos países da Europa, e outras partes do mundo, por aqui, o coworking ainda está engatinhando, embora já mostrando um crescimento significativo nos últimos anos.

Coworking no Brasil

Como foi dito acima, no Brasil, desde que surgiu, em 2007, em São Paulo, vem mostrando um grande crescimento, com muitas pessoas, médicos ou não, descobrindo os benefícios de compartilhar um mesmo espaço físico.

Certamente, por toda a economia e praticidade que oferece, esse modelo vem caindo, cada vez mais, no gosto dos brasileiros e, segundo uma pesquisa de 2019, elaborada pelo Coworking Brasil, o país conta com 1.497 coworkings, sendo que, em 2015, o número era de apenas tímidos 238.

Na verdade, todo esse aumento mostra que o Brasil está seguindo os passos de outros países e aderindo às facilidades e transformações do trabalho.

Isso sem falar que a pandemia, em função do novo coronavirus, forçou muitas pessoas a trabalharem em suas casas, o que não é viável para muitos, os quais acabaram encontrando nesse modelo mais liberdade para realizar seus trabalhos, videoconferências e etc.

Economia compartilhada com coworking para médicos

economia com coworking

O coworking para médicos, entre outras coisas, permite também uma economia compartilhada, possibilitando a utilização de espaços amplos e comuns para o atendimento de pacientes, sem que isso acabe pesando no bolso.

Diferente dos consultórios usuais, onde se tem um único médico ou, em alguns casos, se divide o local com um único sócio, o coworking permite reunir, em um mesmo espaço, várias modalidades médicas, com estrutura ideal e organização para realizar consultas e exames.

Ou seja, quem sonha em ter uma clínica, mas não dispõe de uma boa verba que permita, o coworking para médicos é a solução ideal, e isso, principalmente, pela economia compartilhada, com os médicos dividindo o uso do espaço, produtos e serviços, ou seja, é um consumo baseado na colaboração.

Sem dúvida, uma forma inovadora de trabalhar na área da saúde, que  vem facilitando o trabalho de muitos profissionais.

Coworking para médicos: como funciona?

coworking para médicos

Por toda a praticidade e economia que representa, cada vez surgem mais espaços para que médicos possam trabalhar em coworking, mas ainda há muitas dúvidas a respeito de seu funcionamento.

Um coworking para médicos funciona da seguinte forma: um médico contrata este serviço e, em troca, poderá dispor de um espaço para realizar as consultas, em horários já previamente estabelecidos.

Vale saber que, geralmente, esses espaços oferecem não apenas salas, mas uma  ótima infraestrutura e, em alguns casos, dependendo do local, ainda é possível contratar pacotes extras, como o serviço da secretária ou então alguns equipamentos específicos.

Ou seja, esse modelo permite que o médico não precise se preocupar com quem irá fazer a limpeza, a reposição de materiais e etc.

Embora possa variar de local para local, geralmente, o sistema de coworking para médicos é pautado em uma taxa fixa ao mês pelo uso do espaço comunitário, com todos os equipamentos necessários a ele e aos demais profissionais, somado a uma tarifa calculada pelo tempo em que o consultório foi utilizado, sem cobrança de percentual sobre o atendimento médico.

Ou seja, ao contratar esse espaço, o próprio profissional decide o valor do serviço, escolhe os dias, os espaços e os horários que estará disponível para realizar as consultas ou exames e, assim, nos dias desejados, atenderá seus pacientes com toda a organização necessária, sendo o mais comum a contratação em grupo de médicos de diferentes especialidades.

Vantagens do Coworking para médicos

Se você está acompanhando esse artigo, com certeza, já percebeu as muitas vantagens que o coworking, ou seja, esses espaços compartilhados, podem proporcionar ao profissional da saúde. Confira abaixo as principais vantagens:

Baixo investimento inicial

O coworking médico é uma nova forma de trabalho inovadora e, principalmente, econômica, que pode atender adequadamente as necessidades de um médico para que possa executar seu trabalho da melhor forma.

Sem dúvida, é de enorme vantagem para aqueles médicos que acabaram de se formar e finalizar a sua residência, mas ainda não tem como arcar com um investimento inicial para abrir a sua própria clínica, ou mesmo, para quem mudou de cidade e ainda não tem uma clientela, enfim, sem dúvida, um coworking para médicos pode ser uma ótima opção.

Ou seja, qualquer profissional da saúde que desejar abrir um consultório não precisará investir muito para isso, pois o espaço oferece todo o suporte necessário.

Poucas despesas

Por ser um local colaborativo, as despesas serão divididas, assim como os espaços. Haverá grande economia e corte de gastos, principalmente, se comparado a abertura de um consultório próprio.

Geralmente, é cobrado pelo espaço do coworking um valor fixo, possibilitando que o profissional da saúde pague mensalmente pelo espaço, com direito de desfrutar de todos os benefícios que o local oferece.

E mais, no coworking, gastos comuns, como água, energia, limpeza e secretária, por exemplo, são compartilhados, gerando uma significativa economia e, principalmente, evitando dor de cabeça em administrar tudo isso.

Isso sem falar que esse modelo evita possíveis surpresas no fim do mês, uma vez que o valor pago será sempre o mesmo, sem o risco de sustos com gastos excessivos.

Lembrando que cada coworking pode estabelecer suas próprias regras, alguns, por exemplo, adotam o modelo de pagamento em pay-per-use, no qual o profissional só pagará pelos minutos que durarem as consultas, ideal para aqueles que estão começando e ainda não possuem uma vasta clientela.

Estrutura Completa

O principal objetivo é possibilitar que quem utilize o coworking possa contar com um espaço de trabalho co-participativo, com infraestrutura completa e agradável, oferecendo toda a estrutura ao profissional.

Sem dúvida, uma das principais vantagens do coworking para médicos está na estrutura já pronta que o lugar oferece para realizar os atendimentos.

Ou seja, o profissional não precisa se preocupar com a compra ou a manutenção de equipamentos utilizados na hora da consulta, pois os mesmos estarão sempre disponíveis.

E mais, dependendo do plano contratado, o médico ainda poderá contar com uma equipe à disposição como, por exemplo, uma secretária para administrar sua agenda, encarregados pela limpeza e assuntos administrativos do local.

Enfim, os coworkings oferecem tudo isso, além de áreas comuns, com serviços de café, lanches, entre outros itens, a depender de cada lugar.

No caso do coworking para médicos, a infraestrutura é diferenciada para o exercício da profissão, geralmente, incluindo:

  • recepção própria;
  • ajuda para organizar a agenda;
  • flexibilidade para marcação de consultas, conforme os horários escolhidos pelo médico;
  • economia, já que irá pagar apenas pelo tempo utilizado;

Flexibilidade

Toda essa praticidade em poder reservar os espaços em dias e horas pré-definidos possibilita que muitos médicos, principalmente, aqueles que estão começando a formar sua clientela, possam contar com uma estrutura como a que oferecem, facilitando o trabalho, além de oferecer mais liberdade para o agendamento.

Ou seja, esse modelo de trabalho permite uma maior flexibilidade para definir os horários de atendimento, sendo possível escolher quando irá utilizar o espaço, facilitando na hora de alinhar os atendimentos com outros projetos e seu tempo de descanso.

E mais, dependendo do espaço, caso o coworking possua mais de uma unidade, é possível atender em lugares diferentes, ampliando significativamente as possibilidades de conseguir pacientes que querem praticidade e locais próximos para realizarem as consultas.

Integração das especialidades

Já pensou poder juntar vários colegas de diferentes especialidades médicas em um mesmo espaço? É isso que o coworking possibilita, facilitando a troca de experiências, até com profissionais de outras especialidades e ainda a recomendação de pacientes entre todos os profissionais envolvidos.

O que um Coworking para médicos precisa oferecer?

Certamente, cada especialidade médica possui suas necessidades , por exemplo, pode ser que determinado profissional ainda tenha poucos clientes, ou seja, vai oferecer poucas consultas, pelo menos num primeiro momento.

Sendo assim, o ideal seria optar por um coworking com planos mais simples, e o mesmo serve para o contrário, caso o profissional precise de algo fixo por contar com uma agenda mais lotada de pacientes, nesse caso, a melhor opção seria um plano com mais horas de uso.

E isso vale para equipamentos, possibilidade de áreas comuns, refeitório,  equipamentos e funcionários que possam ajudar na rotina de trabalho, tudo isso vai depender do tipo de plano contratado, existindo para as mais diferentes necessidades, ou possibilidades.

Porém, por mais moderno e bonito que um espaço possa parecer, é fundamental que não esqueça de se certificar de que o mesmo  cumpra todos requisitos mínimos exigidos pelas instituições reguladoras.

Por isso, ao escolher o espaço, não considere apenas a estrutura, preste muita atenção nas normas para evitar possíveis dores de cabeça.

Resumo dos principais fatores a serem levados em conta na hora de escolher o coworking ideal:

  • Localização;
  • Preço;
  • Infraestrutura;
  • Organização;
  • Normas reguladoras;
  • Plano compatível com as necessidades.

Acerte na escolha do coworking para médicos?

Pronto, agora já está mais por dentro do que são esses espaços colaborativos,  segue uma lista do que deve ser determinante na hora de escolher um coworking para médicos que seja ideal para a sua especialidade.

Infraestrutura

Sem dúvida, medicina é uma área que exige infraestrutura diferenciada, por isso, pesquisar com calma um espaço é fundamental, já existindo aqueles direcionados para médicos.

Portanto, ao escolher um coworking para médico, isso deve ser baseado no que o local oferece.

Ou seja, se certifique de que o espaço possui equipamentos atualizados e salas preparadas para a realização do atendimento ao paciente.

E mais, não se esqueça de verificar se existe uma equipe voltada à limpeza do espaço, lembrando que é preciso manter rigorosos padrões de higiene e segurança, especialmente em função da pandemia de Covid-19.

Consultórios adequados

Uma dica é visitar muitos espaços dentro da modalidade de coworking para médicos, e se certificar que os consultórios são adequados para a realização de sua especialidade, se contam com todos os itens essenciais para poder oferecer o melhor atendimento possível.

Flexibilidade de reserva

Não esqueça de colocar na lista de prioridades a facilidade em montar uma agenda, ou seja, se o local permite uma maior flexibilidade.

Ao saber a possibilidade de agendamentos semanais, poderá alinhar isso e reservar seus horários no coworking, para isso, no entanto, é muito importante que o local seja flexível.

Considere a localização

Outro item que não deve ser subestimado é a localização do coworking, sendo a melhor opção aquele que esteja localizado em áreas de acesso facilitado, seja em relação ao transporte, ou pela possibilidade de estacionamento. Por isso, procurar conhecer bem o local é muito importante, podendo ser esse um quesito determinante para os pacientes, afinal, quem não quer mais comodidade no dia a dia?

Abuse do marketing médico

Definido o local, então, chegou a hora de captar clientes/pacientes. Para isso, claro, é preciso investir em divulgação, que traduzindo, significa marketing médico.

E antes que torça o nariz achando que é algo muito caro para seu padrão, saiba que os tempos mudaram, se antes divulgar, ou seja, fazer um trabalho de marketing era para poucos, hoje isso mudou, e muito.

Existem diferentes pacotes, planos e serviços para todos os tipos de bolsos e que atendem muito bem o seu objetivo: captar clientes/pacientes.

Um bom trabalho de marketing para médicos vai montar estratégias certeiras e que vão descobrir e trazer o seu público alvo até você.

Invista em atendimento humanizado

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar em atendimento humanizado, o qual deve começar na marcação de consulta e chegar até seu consultório, passando por um ambiente que promova a acessibilidade, o conforto e bem-estar dos pacientes.

E é isso que um bom coworking transmite, a preocupação em oferecer o melhor por um valor que caiba em qualquer bolso.

E qual o resultado disso? É conseguir fidelizar seus pacientes, os quais se beneficiarão desses espaços modernos, funcionais e confortáveis. Ou seja, ao escolher um coworking é fundamental optar por um espaço que ofereça satisfação para o profissional e, principalmente, para quem vai receber todo o cuidado.

Conclusão

Optar por um trabalho compartilhado em um coworking para médicos, muito além de significar mais economia, vai facilitar seu crescimento profissional. Acredite, a rede de relacionamentos criada nesses espaços pode oferecer oportunidades de novas parcerias, aumentando muito suas chances de crescimento profissional.

No mais, sem dúvida, se somar tudo o que precisaria investir para ter um consultório próprio, verá que o coworking é a melhor opção, com menos dor de cabeça, burocracia, investimento, por outro lado, mais contatos e chances de aumentar e fidelizar o número de clientes/pacientes.

Projeto de arquitetura para clínicas médicas: como começar

Sonha em construir sua própria clínica? Como é sua clínica dos sonhos? Certamente é bonita, confortável para que seus pacientes queiram voltar e recomendar a seus amigos, não é mesmo?

Pois bem, mas projetar uma clínica não é tão simples assim como parece, por isso mesmo, essa parte de projetar, reformar ou decorar as instalações de uma clínica médica, deve ficar nas mãos de quem entende do assunto, ou seja , de um arquiteto, e isso vale para consultórios também.

Apenas um arquiteto, com sua experiência e criatividade, saberá transformar um local em um ambiente bonito, confortável e funcional.

Da iluminação e mobiliário adequados às rotinas específicas, com cores e materiais apropriados, até a mobilidade e praticidade de um bom posicionamento de salas, bancadas, armários e móveis e, claro, com a escolha de belos complementos decorativos, como vasos, quadros e enfeites.

Como podemos ver, são muitos itens a considerar, até mesmo a especialidade,  por exemplo, no caso de uma clínica voltada ao diagnóstico por imagem, com tecnologia de ponta, toda a arquitetura da fachada, assim como, dos espaços, devem transmitir essa ideia.

E como se não bastassem os muitos detalhes envolvidos, é preciso ter em mente que todo o projeto deverá atender às diversas regulamentações, desde vigilância sanitária, passando por bombeiros, ocupação do solo, e conselhos profissionais.

Desanimou? Nada disso, embora começar uma clínica do zero não seja tarefa das mais fáceis, também não é nenhum bicho de sete cabeças, e é isso que mostraremos a seguir, um passo a passo de como começar seu projeto de arquitetura para clínicas médicas.

Escolhendo o Arquiteto

Escolhendo o arquiteto para sua clínica

O primeiro passo é procurar um arquiteto, mas atenção, tem que ser um profissional com experiência em projetos para Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS).

Somente um arquiteto “hospitalar” saberá transformar seus sonhos numa solução possível, funcional, humanizada, de acordo com a legislação, dentro do seu orçamento e ainda com ideias e estratégias que somente alguém com experiência pode oferecer.

Mas, claro, um arquiteto, por mais experiente que seja, não poderá fazer milagres, nem adivinhar o que está querendo, muito menos fazer ao gosto dele, é preciso que mostre um desenho, pode ser um rabisco, nada muito profissional, mas para que ele entenda o que você deseja.

O importante é ter em mente que, quando o assunto é decorar, reformar ou projetar as instalações de uma clínica médica, é preciso contratar um arquiteto, e isso vale também para pequenos consultórios, onde o desafio de montar uma boa estrutura pode ser ainda maior.

Definindo o projeto de arquitetura

projeto de arquitetura da clínica

Mostre em um esboço, já existem até programas que fazem isso, como deve ser a distribuição do espaço de sua clínica no papel, listando os ambientes que deve ter, conectando-os uns aos outros da maneira mais apropriada.

Lembre-se de que se trata de uma clínica médica e que, portanto, há dois aspectos fundamentais a considerar:

Conforto

É fundamental reservar um espaço amplo para os médicos poderem trabalhar, que seja funcional e seguro. Ou seja, o espaço destinado para o atendimento médico deve ser amplo e confortável.

Dessa forma, ao escolher os móveis é preciso considerar o espaço que irão ocupar, não deixando de considerar o espaço de portas, armários e gavetas ao serem abertas.

Privacidade

E um outro aspecto também não deve ser subestimado na hora de projetar a distribuição dos espaços: a privacidade dos pacientes.

É preciso ter em mente que eles vão à clínica em momentos delicados, sendo fundamental o respeito à sua privacidade.

Por isso, se certifique de dividir os espaços de forma a garantir a privacidade de cada paciente, para que ninguém fora daquele espaço possa ouvir ou ver quem estiver sendo atendido.

A escolha dos materiais

Pronto, você já definiu a distribuição do espaço, agora chegou a hora de escolher os materiais com os quais criará os diferentes ambientes de sua clínica.

Embora o mais comum seja optar por paredes de tijolos, isso não quer dizer que não possa usar outros materiais, que aliás, vem sendo cada vez mais usados, justamente, para levantar paredes quase sem nenhuma obra e com um preço bem mais reduzido.

Mas, atenção, caso opte por painéis deste tipo, é preciso se certificar de que sejam totalmente compatíveis com a proteção da privacidade do paciente. Nesse sentido, a dica é evitar painéis transparentes ou translúcidos.

E não é só isso, ainda dentro da questão da privacidade, é preciso se certificar de que o painel escolhido impeça a passagem de ruídos, evitando que pessoas próximas ouçam a conversa entre o paciente e o médico.

Considere os obstáculos arquitetônicos

A acessibilidade é um direito de todo cidadão e, se tratando de um centro médico, isso deve ser ainda mais considerado. Por isso, antes mesmo de abrir qualquer estabelecimento, procure se certificar sobre possíveis obstáculos arquitetônicos.

Como os centros médicos são um espaço que muito provavelmente será frequentado por pessoas com problemas de mobilidade, essa deve ser uma questão a se levar em conta.

Nesse sentido, veja a possibilidade de investir em uma rampa no acesso principal para facilitar a entrada de idosos ou cadeirantes, com uma passagem larga e segura.

Ainda dentro do quesito acessibilidade, se certifique de que os banheiros sejam um espaço inclusivo, amplos e de fácil acesso.

Questões a considerar ao planejar sua clínica

Algumas questões devem ser exploradas antes de levar seu esboço do projeto, propriamente dito. São informações que, mesmo que em um primeiro momento possam parecer irrelevantes, vão fazer toda a diferença no planejamento do espaço.

Por exemplo, a faixa etária de seus pacientes, o tipo de atendimento, no caso de um consultório ginecológico, o espaço terá que dispor de sanitário privativo e espaço com privacidade diferenciada na área de exames.

Já, no caso de um consultório de odontologia, o espaço é bem específico, pois um consultório do dentista precisa de instalações especiais, por exemplo, contar com salas de lavagem e esterilização de materiais, contar com espaço e compartimentos para resíduos…

Ou seja, é preciso passar todos os detalhes sobre a sua clínica, o que pretende oferecer, pois são informações que o arquiteto precisa para poder atender suas necessidades e realizar seu sonho de uma clínica ideal.

De uma forma generalizada, uma clínica de médio porte, por exemplo, deve comportar uma recepção, consultórios com área de atendimento e, se for o caso, de exames, 1 sala para o departamento administrativo, 1 almoxarifado, 1 copa e sanitários.

É preciso entender o projeto de arquitetura para clínicas como um grande quebra-cabeça, de muitas peças, o qual incluiu também pequenos detalhes, dependendo do que a clínica irá oferecer, que fazem uma grande diferença no resultado final, contribuindo para melhorar a experiência de todos os usuários, sejam pacientes, acompanhantes, médicos, funcionários ou fornecedores.

Enfim, deixe bem clara todas as questões e necessidades, antes de procurar o arquiteto, dessa forma, garantirá uma elaboração do projeto mais ágil e tranquila, assim como, a execução da obra, propriamente dita.

Cuidados e dicas ao projetar clínicas médicas

cuidados e dicas ao projetar a clinica medica

Dentre os muitos aspectos a serem considerados ao se projetar uma clínica médica, vamos destacar 5 cuidados fundamentais, que vão fazer toda a diferença na funcionalidade e conforto do ambiente:

Setorização e Tráfego

Para organizar o espaço e facilitar a circulação de pessoas, é preciso definir com muita cautela o posicionamento das salas e áreas de circulação, considerando o uso e a rotina da equipe.

Um exemplo básico seria deixar na área central a recepção, a sala de espera e os sanitários masculino e feminino, ao lado esquerdo criar dois consultórios no direito as salas de tratamento, administração e a copa.

Acústica e Privacidade

Como já foi dito, preservar a privacidade dos pacientes deve ser prioridade, para isso existem várias estratégias, por exemplo, na hora de dividir as salas, para garantir um ótimo isolamento acústico entre elas, a dica é investir em um drywall com recheio de lã de rocha.

Outra estratégia é instalar som ambiente na recepção, pois além de ajudar a relaxar, a música irá ajudar a garantir mais privacidade aos consultórios.

Higiene e Limpeza

É preciso considerar que a higiene é fundamental sempre, ainda mais em um ambiente médico.

Como numa clínica, geralmente, todos os ambientes são intensamente utilizados ao longo do dia, para facilitar a limpeza e assegurar a higiene, uma dica é revestir paredes com porcelanato, eliminando, também, a necessidade de pintura anual; ou ainda, usar papel vinílico, que também facilita a limpeza, além de auxiliar na absorção do som.

Nos estofados, vale investir em tecidos resistentes e laváveis, garantindo maior durabilidade.

Para o piso, a dica é investir em porcelanato retificado polido, muito prático de manter.

Iluminação, Elétrica e Rede

Se possível, vale apelar para luz natural em ambientes como recepção ou sala de espera, mas tendo em mente que cada ambiente deverá receber um tipo de iluminação específica, de acordo com as necessidades inerentes à cada local.

Salas de exame e tratamento, por exemplo, precisam ser bastante claras, por isso, vale investir em luminárias que permitam o trabalho minucioso dos médicos, além de não alterarem as cores e não incomodarem os pacientes.

É preciso colocar no projeto todos os pontos elétricos para os equipamentos, geralmente muitos, além da rede de comunicação entre os computadores, internet, tv, ar condicionado, etc.

Ergonomia e Mobilidade

Ao projetar uma clínica médica é preciso pensar na acessibilidade, com rampas de acesso na entrada, corredores, passagens e portas mais largas.

Na sala de espera vale apostar em poltronas individuais firmes e com braços, para facilitar o movimento de pessoas com dificuldade de mobilidade, ou idosas, durante o ato de sentar e levantar.

Conclusão

Antes de procurar um arquiteto para começar a projetar sua clínica, é fundamental ter uma ideia clara do que você deseja.

E mais, para garantir que não ocorram erros, vale ainda colocar as ideias todas no papel, antes de começar a fazer as obras, e se puder, com direito a rabisco da planta do centro médico, ou consultório.

Aí, então, já com o rabisco da planta em mãos, já pode procurar o aconselhamento de um profissional, que saberá lhe ajudar a distribuir o espaço de uma forma mais adequada.

Não se esqueça de priorizar a privacidade e o conforto dos pacientes, garantindo acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.

Também, é preciso que sejam levadas em conta as condições do local, se for muito antigo, por exemplo, pode ter limitações estruturais, havendo, nesse caso, a necessidade de fazer algumas mudanças no layout; outra limitação pode ter a ver com o entorno do local, já que dependendo do caso, isso pode dificultar a entrada de luz natural.

Outra dica é se basear na própria especialização médica dos profissionais da clínica para incluir elementos no projeto de arquitetura e design de interiores.

Enfim, esses são alguns cuidados importantes na hora de projetar sua clínica ou consultório, agora é só analisá-los com muita cautela para poder chegar a um resultado mais próximo possível da clínica de seus sonhos.

Dicas para montar seu consultório da abertura à divulgação

Quer montar seu consultório, mas não tem ideia por onde começar? Então, confira aqui nossas dicas de como montar seu consultório da abertura até à divulgação!

 

Muito mais comum do que se possa imaginar, centenas de profissionais da área médica se formam e querem logo montar seu próprio consultório, mas, infelizmente, embora aprendam toda a dinâmica do corpo humano, a identificar e tratar diferentes patologias, os cursos de medicina não oferecem disciplinas sobre gestão e administração.

Considerando que, de acordo com o Censo de Demografia Médica do CFM, cerca de 50,2% dos médicos no Brasil atuam em consultórios privados, resolvemos dar uma ajudinha para aqueles profissionais que pretendem ter seu próprio consultório para chamar de seu, mas não sabem nem por onde começar.

Primeiramente, vale deixar claro que montar um consultório próprio, realmente, não é tarefa das mais fáceis, já que além de médico estará se tornando um empresário, com toda a questão burocrática que isso envolve.

Portanto, se está decidido mesmo a abrir seu próprio consultório, deve desde já ter em mente que isso requer muita dedicação e planejamento.

Mas, calma, embora não seja um processo simples, também não é nenhum bicho de sete cabeças, basta seguir nossas dicas, com um passo a passo bem explicado, que conseguirá abrir seu próprio consultório e ter muito sucesso!

Como montar seu consultório

como montar seu consultório

Clínica médica, ginecologia, obstetrícia, pediatria e cirurgia geral são as especialidades mais oferecidas em consultórios particulares, portanto, para conseguir se destacar nesse mercado tão concorrido como a medicina, ser um ótimo médico não é mais suficiente, é preciso, também, saber administrar e contar com um bom trabalho de marketing.

Quer saber como montar seu consultório como fazer isso da melhor forma possível? Então, continue a leitura!

1. Acerte na escolha do local

Acertar na escolha do local é muito importante, e uma etapa que deve ser muito bem estudada, levando alguns fatores em consideração.

Por exemplo, a localização é de fácil acesso?

Outro fator a ser considerado é o perfil de seus pacientes e, assim, por exemplo, se atende, ou pretende atender, através de convênio, uma dica seria montar seu consultório perto de postos de saúde.

Mas, no caso de querer atrair pacientes particulares, a dica seria focar em regiões frequentadas pelas classes A e B, por exemplo.

Porém, em todo caso, primeiramente, verifique se não há muita concorrência, ou seja, outros estabelecimentos médicos com o mesmo perfil do seu consultório instalados na região.

2. Defina a categoria em que irá atuar

categorias

Para quem não sabe, a ANS (Agência Nacional de Saúde) divide os estabelecimentos médicos em 54 categorias, assim sendo, um dos primeiros passos antes de abrir seu consultório, propriamente dito, é escolher em qual delas você irá atuar.

Conheça quais são as 3 categorias mais comuns entre clínicas e consultórios médicos:

  • Clínica médica popular: oferece serviços médicos voltados para aquele público que não possui plano de saúde particular. Uma das vantagens dessa categoria é adquirir rapidamente um grande número de pacientes;
  • Consultório com até duas especialidades médicas: categoria voltada para clínicas e consultórios com até dois profissionais da saúde com especialidades diferentes, geralmente sócios. Muito comum entre fisioterapeutas e acupunturistas, entre outros;
  • Clínica geral (procedimentos médicos simples):categoria voltada para estabelecimentos que realizam procedimentos médicos, com profissionais especializados para fornecer o atendimento mais adequado.

Atenção: é fundamental definir exatamente a categoria de seu consultório, principalmente, para poder declarar corretamente o imposto de renda.

3. Escolha muito bem o imóvel

Pronto, agora que definiu a categoria em que irá atuar, chegou a hora de correr atrás do imóvel adequado.

Assim como o local, escolher um imóvel também requer muita cautela, pois a estrutura do consultório é um dos investimentos que normalmente mais pesam na hora da abertura do negócio.

Vale lembrar que a estrutura básica de um consultório médico geralmente conta com uma recepção, banheiros, salas de atendimento e, dependendo da sua especialidade, uma sala exclusiva para exames.

Sabemos que nem sempre é possível, mas se puder, opte por um imóvel que permita reservar um espaço para criar uma copa, para sua equipe de colaboradores.

Caso seja possível, também, considere um espaço que possa ser ampliado, no caso de seu consultório crescer, não precisará mudar de endereço.

Por fim, mas não menos importante, é garantir acessibilidade para todas as pessoas, inclusive, pacientes com deficiências, idosos, entre outros.

No mais, não deixe de verificar se a estrutura do imóvel segue as normas exigidas pelos órgãos regularizadores como a Anvisa.

4. Conheça as exigências legais e sanitaristas

Agora definido o seu tipo de negócio, e ainda antes de abrir, propriamente, o seu  consultório, você vai precisar legalizá-lo, para isso, deverá atender todas as exigências legais e sanitaristas necessárias.

Embora um pouco trabalhoso, esse processo é fundamental, e para que não fique nada de fora, mostraremos aqui os principais pontos a serem observados. Confira!

Então, é hora de arregaçar as mangas para garantir um funcionamento legal e seguro, para isso, precisará correr atrás de  uma série de autorizações que vão desde o corpo de bombeiros, Vigilância Sanitária até outros órgãos da prefeitura, podendo variar de cidade para cidade, assim como, o registro do consultório como pessoa jurídica (CNPJ).

A dica é apelar para um bom contador, experiente na área da saúde,  que possa cuidar das questões burocráticas e fiscais.

Confira abaixo as 3 etapas para a legalização de seu consultório:

  • Cadastro Estadual de Vigilância Sanitária:é preciso que pelo menos um profissional da saúde conste como responsável técnico do consultório;
  • Cadastro no CNES: obrigatório a todos os estabelecimentos que oferecem serviços relacionados à área da saúde.
  • Licença de Funcionamento (geralmente a nível municipal): permite o funcionamento dos estabelecimentos que desenvolvem atividades de acordo com a legislação sanitária vigente.

Vala saber que, para obter a licença de funcionamento, será preciso apresentar um laudo técnico de avaliação do imóvel, que deve ser renovado anualmente.

A dica é procurar uma empresa que realiza consultoria na área regulatória, para garantir que todos os requisitos estão preenchidos corretamente, evitando problemas no futuro.

5. Invista na decoração

decoração do consultório

Pronto, consultório devidamente legalizado, chegou a hora de pensar na decoração, item que jamais deve ser subestimado.

Sabemos que a primeira impressão é muito importante, assim como pode afastar, ela pode atrair, nesse sentido, poder garantir que o cliente/paciente tenha uma primeira impressão positiva é uma ótima estratégia.

Embora muitos médicos não levem isso muito em consideração, a decoração do consultório é uma interessante forma de se comunicar com os pacientes, demonstrando respeito, consideração, além de ajudar a construir uma marca forte para o seu consultório.

No mais, um consultório bem equipado, com uma sala de espera aconchegante, bem decorada, com móveis super confortáveis é uma ótima forma de conquistar e fidelizar pacientes.

6. Gerencie bem os custos

É preciso ter em mente que um consultório é um negócio, e assim deve ser tratado, por isso, é fundamental realizar uma boa gestão, evitando ter que fechar por erros básicos de administração, tão comuns entre profissionais da saúde.

Infelizmente, os médicos não são formados para serem profissionais empreendedores, por isso, resolvemos dar uma ajudinha nessa parte, com as principais questões sobre gestão com as quais deve se manter atento para garantir uma boa administração do seu negócio: o gerenciamento de custos.

Primeiramente, evite o tradicional e antiquado uso de papel dentro de sua clínica, ou consultório, em vez disso, aposte em tecnologia.

Atualmente, existem alternativas bem mais econômicas, evitando gastos com impressão, fichas de papel e até mesmo telefonia.

Hoje, a tecnologia pode ser uma ótima aliada, e com um computador básico, já é possível registrar os pacientes, utilizar o whatsapp para falar com os pacientes, por exemplo, reduzindo gastos com telefonia.

Com a economia que conseguir fazer, com papel, telefonia, luz e impressão, a dica é investir em melhorias dentro do próprio estabelecimento, oferecendo mais conforto aos pacientes, por exemplo.

Outra dica é apelar para um software médico, que irá ajudar a organizar os processos, melhorar a produtividade da equipe e ainda oferecer uma ajudinha na administração financeira.

Contrate bons profissionais, ao menos, uma boa secretária/recepcionista, como será o seu braço direito, é essencial que seja alguém de confiança e que possua as habilidades necessárias que essa função exige.

E, claro, também vai precisar de alguém encarregado pela limpeza do ambiente e, dependendo do tamanho de seu negócio, também poderá precisar de enfermeiros, entre outros.

Por isso, na hora de planejar os custos, lembre-se de contar esses profissionais e pesquisar sobre direitos trabalhistas, para evitar problemas legais e garantir um ambiente harmonioso entre toda a equipe.

No mais, quando planejar sua gestão, não se esqueça de ter uma reserva financeira para suportar os custos fixos da fase inicial, quando provavelmente terá um menor retorno, e não se esqueça de separar uma parte do dinheiro para investir em marketing, afinal, ele é fundamental para atrair mais pacientes.

 

7. Invista em Marketing

marketing para o seu consultório

E claro, não dá para imaginar ter um negócio de sucesso, mesmo que um consultório ou clínica, sem que isso passe por um bom trabalho de divulgação.

Divulgação é a alma de qualquer negócio, e hoje em dia ela se traduz por marketing, garantindo sua presença, também, no mundo digital.

Mas, sabemos que a rotina de um médico, principalmente, quando também é administrador, não é nada tranquila, por isso, vale considerar deixar esse trabalho com uma agência especializada em marketing médico, que saberá realizar a divulgação do seu serviço de uma forma mais assertiva.

O importante é não subestimar o trabalho e a importância de um marketing bem feito.

Quem, hoje em dia, procura qualquer coisa que seja, desde produto, serviço e, claro, um médico especialista, que não faça isso usando o motor de busca do Google?

Ou seja, é “obrigatório” ter presença digital para sobreviver nesse mundo cada vez mais competitivo.

Por isso, invista em uma boa empresa de marketing médico (existem muitas atualmente na internet, e para todos os bolsos), que fará com que você, ou sua clínica, evite cair em erros comuns e conquiste mais clientes, se tornndo referência em sua especialidade e ganhando autoridade.

Sites, blogs, conteúdos relevantes, anúncios, email marketing, redes sociais, são só algumas das estratégias que de um bom marketing.

Já pensou, sempre que alguém pesquisar por algum profissional dentro de sua especialidade no Google, seu nome, ou de sua clínica, surgir entre os primeiros nos resultados? Isso é só algumas das vantagens de apostar em marketing médico.

Até mesmo, se quiser investir em identidade visual, logo (que pode ser representar sua clínica em vários itens, como no receituário, uniformes, cartões de visita, sites, por exemplo), decoração, paleta de cores a serem usadas, enfim, uma boa empresa de marketing médico poderá lhe ajudar.

E mais, as redes sociais não devem ser subestimadas, nem deixadas nas mãos de qualquer pessoa, pois elas estão se mostrando cada vez mais importantes no processo atrair e fidelizar pacientes. Seja Facebook, Instagram, YouTube…

A dica é investir em conteúdos relevantes e estar sempre atento à ética e às exigências do CFM, o que profissionais experientes em marketing médico já sabem fazer.

Enfim, é importante investir em um bom marketing, deixar nas mãos de quem sabe e tem experiência com esse assunto, dessa forma, ficando livre para focar em atender e dar atenção a seus pacientes e administrar seu consultório, sem se preocupar em também ter que planejar todo o processo de divulgação.

 

E essas são nossas principais dicas para quem quer montar um consultório de forma assertiva e poder se destacar nesse mercado tão competitivo. Gostou? Então, não deixe de compartilhar o conteúdo com seus amigos!

Para mais dicas, visite nosso blog!

Atendimento humanizado: qual a importância desse conceito nos dias atuais

Mais do que nunca, atualmente o atendimento humanizado vem se mostrado como um importante diferencial para profissionais da área da saúde, trazendo benefícios tanto para empresas do setor, como para os pacientes.

Desde fidelização e confiança do paciente; equipe mais satisfeita e engajada; atendimento pautado na ética e otimização do serviço, muitos são os benefícios do atendimento humanizado.

É preciso entender que existe uma grande necessidade do paciente em sentir confiança, receber apoio, e isso vai muito além de sua saúde física, sendo também uma questão psicológica.

Mas, essa preocupação em prestar um atendimento mais humanizado não deve se limitar ao contato médico/paciente, deve fazer parte de toda a jornada do paciente em um hospital, desde a marcação de consultas, colaboradores, SAC, atendimento clínico, emergências e internamentos…

É preciso considerar que cada etapa da jornada do paciente, quando bem trabalhada, pode criar uma imagem muito positiva ao médico, hospital ou clínica, ou seja, inúmeros benefícios tanto para médicos como para os pacientes.

Mas o que é atendimento humanizado?

ATENDIMENTO HUMANIZADO

Atendimento humanizado é um conceito cada vez mais presente nas organizações, principalmente, nas relacionadas ao campo da saúde, já que o conceito de humanização engloba compreender e ouvir as necessidades e queixas de qualquer pessoa com real interesse, respeito, cordialidade e empatia.

O atendimento humanizado acredita na construção do relacionamento como forma de promover melhorias ao paciente, físicas e psicológicas.

Além disso, um atendimento humanizado considera o cuidado com o paciente como um todo, unindo a qualidade técnica do tratamento ao relacionamento desenvolvido com o paciente, a família e a equipe.

O atendimento humanizado visa a constante melhoria da comunicação entre médico/paciente, estabelecendo uma relação mais próxima, que preze pelo respeito, atenção e ética.

De acordo com o Ministério da Saúde, o tratamento humanizado busca a  valorização de todos envolvidos no processo de produção de saúde, por meio da ética, da criação de vínculos solidários, da responsabilidade compartilhada e da participação coletiva na mudança da cultura da atenção aos pacientes.

Principais características do atendimento humanizado

Empatia

Palavra que vem sendo muito usada ultimamente, muitas vezes se banalizando seu sentido que, na verdade, significa entender o sofrimento do outro, no caso, do paciente.

É preciso ter em mente que cada pessoa que passa pelo consultório tem suas dificuldades em particular, e é preciso ter empatia, compreender isso, oferecendo um atendimento personalizado e eficiente.

Portanto, empatia é o pilar do atendimento humanizado.

Não bastam novas técnicas, aparelhagens se não houver humanização, ela é fundamental para aumentar a eficácia de qualquer tratamento.

Satisfação dos pacientes

Todo mundo busca a satisfação dos clientes, pois quando satisfeitos, claro, eles retornam, e o mesmo acontece, em um grau ainda maior, no setor da saúde, um paciente satisfeito não só retorna como indica o médico, ou clínica a todos os seus familiares e conhecidos.

A satisfação, no entanto, vem como resultado de uma série de ações e impressões, que começará antes mesmo do cliente/paciente chegar ao consultório, e continuará durante as consultas e exames, e também após a conclusão do tratamento.

Ou seja, o atendimento humanizado deve ser focado no bem estar do paciente e na eficácia do tratamento, resultando em sua satisfação, fazendo com que se sinta a vontade para retornar sempre que for preciso, com a certeza de que sempre terá uma boa experiência.

Como realizar um atendimento humanizado

como realizar um atendimento humanizado

Como já foi dito, o atendimento humanizado trabalha diretamente com a empatia dos profissionais da saúde com o paciente.

Sendo assim, no atendimento humanizado,  o médico deve procurar se colocar no lugar de seu paciente, entendendo seus sentimentos, seus medos, suas dúvidas, deve considerar a sua realidade.

Ao realizar um atendimento humanizado, estará colaborando para a saúde emocional do paciente, evitando conflitos durante o seu tratamento e, dessa forma, com mais chances de apresentar melhoras mais significativas.

Vale considerar que, de acordo com a OMS, a saúde significa um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de afecções e enfermidades, o que quer dizer que o bem-estar físico do paciente deve estar em harmonia com seu bem-estar mental para uma saúde completa.

Onde aplicar o atendimento humanizado?

Toda a realização do atendimento humanizado está relacionada com a valorização da saúde do paciente e comportamento ético do profissional de saúde.

No entanto, para que o atendimento humanizado seja possível, é fundamental que todos os relacionamentos (pessoal, interpessoal e institucional), sejam integrados e aplicados em situações como:

Relacionamento médico/ paciente

O atendimento humanizado deve ter como prioridade o paciente, suas queixas e necessidades, dessa forma, toda sua jornada no hospital deve ser respeitada, preservando sua saúde psicológica.

Ambiente Físico

O ambiente físico também é muito importante dentro do atendimento humanizado, já que o mesmo deve ser pensado no paciente, em seu conforto e bem-estar. Seja na sala de espera de um consultório, de uma clínica ou hospital.

Vale saber que a maioria das clínicas ou hospitais que oferecem um ambiente físico agradável e confortável ao paciente, não só têm pacientes mais satisfeitos, como também, conseguem mais elogios e recomendações a terceiros.

Ou seja, um ambiente confortável e acolhedor não só traz benefícios ao paciente como à clínica, hospital, ou consultório, pois as chances de fidelizar antigos e atrair novos pacientes por recomendação é maior.

Comunicação médico/paciente

A comunicação é um item que jamais deve ser subestimado, na verdade, ela é um fator muito decisivo no atendimento humanizado.

O paciente deve ter a comunicação facilitada em cada processo de sua jornada, e ela tem que acontecer sempre de forma  rápida, segura e eficiente.

Felizmente, hoje existem diversas ferramentas de tecnologia que auxiliam na melhoria e agilidade da comunicação do paciente com os profissionais de saúde, desde a marcação de consultas, resultados de exames, entre outras possibilidades.

Familiares do paciente

Atualmente, já se sabe a importância do paciente não se sentir sozinho em todo o processo de sua recuperação, da diferença de contar com a companhia de seus familiares, amigos e entes próximos na melhora da saúde mental.

Por isso, é fundamental que os profissionais de saúde compreendam a importância do paciente em ter um acompanhamento familiar contínuo para uma melhora mais rápida e eficaz.

É preciso que clínicas e hospitais entendam que o atendimento humanizado é fundamental não apenas para fortalecer o tratamento e recuperar o paciente, mas também, melhorar a imagem do hospital, resultando numa experiência mais positiva para ambas as partes.

O que deve ser oferecido no atendimento humanizado?

Embora o setor da saúde tenha passado, nos últimos anos, por diversas mudanças tecnológicas, com a possibilidade de novas ferramentas, técnicas, e instrumentos sendo aperfeiçoados para diagnósticos e tratamentos mais precisos, por outro lado, a aproximação médico/paciente foi deixada de lado.

Mas onde será que o exercício humanitário da profissão deixou de ser prioridade?

Felizmente, hoje já se percebeu as sequelas do abandono da aproximação médico/paciente, e já existem diferentes frentes de assistência humanizada.

Já se sabe que oferecer um atendimento humanizado é tão fundamental quanto investir em tecnologia, garantindo uma melhor forma de cuidar e alcançar mais resultados nos tratamentos.

Porém, o atendimento humanizado não envolve apenas bons profissionais como também procedimentos, normas, regras e infraestrutura que atendam às necessidades dos pacientes.

Confira abaixo algumas questões a considerar no atendimento humanizado.

Ética profissional

É uma questão que deve ser priorizada, principalmente, na área da saúde, sendo de extrema importância para o tratamento do paciente, assim como, para a reputação do médico, ou da clínica.

Assim, o paciente e seus familiares devem ser sempre bem tratados e respeitados em todas as suas limitações ou crenças.

Tratamento individualizado

Embora para muitos profissionais da saúde cada etapa de um tratamento posa parecer corriqueiro, para muitos pacientes são momentos de angústias, incertezas, de extrema tristeza, por isso, o tratamento deve ser individualizado, considerando cada situação de forma única e específica.

Os profissionais da saúde, todos, inclusive colaboradores, devem procurar entender cada paciente, conversando e oferecendo o suporte necessário.

Um atendimento, para ser humanizado, jamais deve ser generalizado, pois cada ser é único e possui vivência e dificuldades próprias.

Empatia

Todos que fazem parte do processo, desde a recepcionista, até o médico, devem estar capacitados para dar atenção a cada um dos pacientes, entendendo as necessidades individuais de cada um, seja física ou emocional.

Os pacientes devem ter a oportunidade de conversar com todos os profissionais, de expor suas dúvidas, medos, preocupações ou dificuldades.

Sem dúvida, o atendimento humanizado, com empatia, vai possibilitar mais segurança, tanto em relação à clínica ou consultório, aos atendentes, como em relação ao tratamento, propriamente dito.

É preciso entender que um profissional da saúde que ouve atentamente seu paciente, com um olhar mais sensível para as questões humanas, consegue  ir além do diagnóstico ou do tratamento em si, atendendo e tratando, também, seu lado emocional, de extrema importância no enfrentamento de qualquer doença.

Respeito

Cada paciente tem suas características próprias, suas próprias crenças e opiniões, e independentemente delas, todos devem ser respeitados. É fundamental que a clínica, hospital ou consultório, treine seus colaboradores para isso.

Infraestrutura adequada

Certamente, não basta respeitar os pacientes, ter empatia e boa vontade, é preciso, também, oferecer uma boa infraestrutura para que consigam, de fato, oferecer um atendimento humanizado personalizado.

Ou seja, é preciso oferecer um conforto que atenda as necessidades diferentes que cada paciente vá precisar, desde a sala de espera, até o consultório.

É preciso proporcionar conforto aos pacientes em cada etapa do tratamento, permitindo que se sintam à vontade e seguros.

Como implementar o atendimento humanizado?

Como implementar o atendimento humanizado

Então, já sabemos que o atendimento humanizado é extremamente importante, mas como garantir que, na prática, ele seja efetivo e traga resultados positivos?

Principalmente, é preciso conseguir estabelecer uma comunicação com o paciente, não só o ouvindo, mas compreendendo seus hábitos e seu histórico, buscando adquirir a confiança necessária para realizar o melhor tratamento possível.

Mas, outras ações também são indispensáveis para conseguir implementar o atendimento humanizado em sua clínica, ou consultório, tais como:

Oferecer diferentes canais de atendimento

É preciso considerar que cada paciente possui suas limitações, então, é fundamental estar preparado para oferecer atendimento pessoal, por telefone, email, redes sociais, aplicativos de mensagens…

É preciso, além de oferecer canais diferenciados, contar com colaboradores preparados para atender os pacientes em cada um deles, sempre com paciência e boa vontade.

Dessa forma, estará facilitando para o paciente, que se sentirá mais à vontade para escolher o canal que lhe seja mais confortável, permitindo tirar suas dúvidas e fazer agendamentos ou coleta de resultados sem estresse.

Treinar a equipe

Para implementar o atendimento humanizado, não basta apenas abraçar a ideia e pronto, é preciso investir na capacitação dos colaboradores, pois eles são os principais responsáveis por oferecer os alicerces para um atendimento humanizado.

Reduzir o tempo de espera

Se pretende implementar o atendimento humanizado em sua clínica, primeiramente, deve estar preparado para atender menos pessoas, ou trabalhar mais horas. Isso porque um tratamento humanizado requer atenção e qualidade, o que significa mais tempo dentro do consultório.

E não existe atendimento humanizado com o paciente tendo que esperar hora em uma sala de espera.

Por isso, reveja sua agenda, reservando mais tempo para cada consulta.

A sala de espera é o primeiro contato que o paciente tem com o local e também um momento de grande apreensão, pois ainda não recebeu o devido atendimento e não tem um diagnóstico.

Um tempo de espera muito grande só fará com que o paciente fique ainda mais ansioso e cansado, antes mesmo de receber o atendimento, além de afetar a imagem da clínica, ou consultório.

Permitir o acompanhamento dos familiares

É preciso contar com uma estrutura e organização necessária para permitir que familiares acompanhem pacientes, que geralmente, nesses momentos, se sentem mais fragilizados e vulneráveis. Dessa forma, além de garantir um maior suporte emocional e mais segurança, também estará acalmando os acompanhantes, que não precisarão esperar para ter notícias.

Garantir os direitos dos pacientes

Em um atendimento humanizado, é fundamental que todos os direitos dos usuários sejam uma preocupação constante, garantindo que sejam respeitados.

Facilitar o acesso à informação aos pacientes

É de extrema importância que todas as informações sejam facilitadas aos pacientes, desde endereço e horários de atendimento, informações referentes ao seu tratamento, agendamentos, cuidados necessários ou resultados de exames, para evitar mais ansiedade e estresse além do, normalmente, já causado pela enfermidade.

Estar sempre atento aos resultados

É preciso colocar sempre o paciente como figura central e ficar atento aos resultados. Muitas vezes é preciso ouvir os colaboradores para entender as dificuldades que estão tendo ao implementar as novas diretrizes, assim como, saber se existem outros fatores a serem considerados.

Dessa forma, sempre é possível melhorar o atendimento ainda mais, com resultados que sejam satisfatórios tanto para eles como para os pacientes.

Quais os benefícios do atendimento humanizado?

É fundamental que independentemente de serem avançados, ou não, os recursos em sua clínica, ou consultório, os princípios de relações humanas e valores como ética, empatia e respeito sejam priorizados na relação com os pacientes.

Já se sabe da real importância do atendimento humanizado e do retorno dessa prática, portanto, hoje ela não só é mais um diferencial, como uma necessidade.

E, sem dúvida, essa prática, gera diversos benefícios, desde fidelização e confiança do paciente; atendimento pautado na ética; equipe mais satisfeita e entusiasmada.

Isso sem mencionar que a integração entre profissionais da saúde e pacientes gera um vínculo que proporciona, automaticamente, mais eficácia em qualquer tratamento.

Dentre os muitos benefícios do atendimento humanizado podemos destacar os seguintes:

Fidelização e confiança do paciente

Como já vimos anteriormente, o atendimento humanizado tem um importante papel na fidelização do paciente que, naturalmente, tende a retornar ao consultório, ou clínica, principalmente, ao constatar como isso contribui para o sucesso de seu tratamento.

Equipe mais motivada

Uma equipe motivada, sem dúvida, faz toda a diferença para o sucesso de qualquer tratamento. E mais, as preocupações com os pacientes devem se estender aos colaboradores, oferecendo um bom local de trabalho, com toda a infraestrutura que necessitam. Pois a empatia e a humanização deve ser um conceito geral, e não apenas uma estratégia para atrair mais pacientes. Ou seja, seu consultório, ou clínica, deve refletir e adotar a filosofia em todos os setores, se tornando um local onde todos se sintam cada vez mais satisfeitos.

Melhora a imagem da clínica

Sem dúvida, o atendimento humanizado ajuda muito a melhorar a imagem que o paciente tem da sua clínica, ou consultório, fazendo com que perceba que preza pela saúde e bem estar dos pacientes, ou seja, que veja sua clínica de forma mais positiva, tornando-a uma referência, atraindo assim ainda mais pacientes que buscam um bom atendimento.

Eficácia do tratamento

Por fim, claro, nem poderia ser diferente, temos como resultado de um atendimento humanizado uma eficácia maior em qualquer tratamento, principalmente, pelo fator psicológico, já que o paciente se sente mais amparado e seguro.

Vale entender que, geralmente, um paciente se sente assustado, sozinho, sensível e ao se deparar com um profissional da saúde dedicado, atencioso e amigável, sem dúvida, é de extrema importância para que o paciente confie no tratamento, fazendo toda a diferença nos resultados.

 

Enfim, embora esteja muito desgastada, em parte, pela frieza do atendimento e pouco tempo de consulta, a relação médico/paciente pode ser resgatada, sim, basta ir em busca da essência da prática médica: o cuidado com o outro, que se traduz pelo atendimento humanizado.

Saiba diferenciar uma recepcionista de uma secretária de consultório

É muito comum as pessoas confundirem uma recepcionista com secretária de consultório, realmente, as diferenças são sutis, mas podem ser significativas quando se trata da gestão de um consultório médico.

Basicamente, enquanto a recepcionista atua na entrada do consultório, a secretária de consultório, atua na entrada da sala do profissional de saúde. Mas, será que as diferenças terminam por aí? É o que vamos ver nesse artigo!

 

Para alguns esse engano pode até parecer bobo, mas não é, e mais, seus papéis podem ser imprescindíveis em toda a dinâmica de um consultório.

O fato é que tanto as recepcionistas como secretárias possuem funções específicas, ambas auxiliam o médico empreendedor na gestão do consultório.

Muita gente não sabe, mas o papel de profissionais da recepção é muito importante, inclusive, pode ser determinante para um paciente retornar, ou não, ao consultório.

Na verdade, trabalhar na recepção de clientes é uma atividade fundamental, básica para todo o restante do trabalho, repercutindo no desenvolvimento um bom ou mau serviço prestado.

Mas, então, qual a diferença do trabalho de uma recepcionista e uma secretária de consultório?

Diferenças entre uma recepcionista e secretária de consultório?

recepcionista ou secretária

Então, a verdade é que, geralmente, recepcionista e secretária são usados como sinônimos o que, embora na prática não chegue a representar algum tipo de problema, em relação às responsabilidades, podemos perceber muitas diferenças.

Principais funções de uma secretária de consultório

secretária no consultória

Basicamente, a principal diferença entre uma recepcionista e uma secretária está no contexto, já que enquanto a recepcionista lida diretamente com o atendimento ao paciente, a secretária cuida das obrigações administrativas.

Se até pouco tempo as secretárias eram vistas como encarregadas apenas de monitorar a agenda dos profissionais de saúde, agora, no entanto, elas assumiram um papel bem mais significativo, são indispensáveis para a administração dos consultórios.

É preciso considerar que, atualmente, as secretárias vêm ocupando um lugar cada vez mais estratégico, atuando do atendimento ao cliente, até na negociação com fornecedores.

Entre as principais funções de uma secretária, podemos destacar:

  • Organizar a agendados profissionais de saúde;
  • Filtrar as demandas enviadas aos profissionais de saúde, priorizando as mais urgentes;
  • Realizar um controle de estoque e garantir que nenhum material esteja faltando;
  • Ter uma boa capacidade de gerenciamento do consultório;
  • Elaborar relatórios sobre a gestão do consultório, desde o perfil dos pacientes até o controle financeiro;
  • Responder os e-mails do consultório.

Como podemos ver, as secretárias não apenas atendem telefonemas, mas são responsáveis pela administração do consultório, permitindo que os médicos tenham mais tempo para cuidar de seus pacientes.

Quais são as principais funções de uma recepcionista de consultório?

recepcionista no consultório

Agora que já sabemos as principais funções de uma secretária, vamos conhecer as principais funções de uma recepcionista, que é quem recepciona os pacientes no consultório.

A função de uma recepcionista jamais deve ser subestimada, ela desempenha função de extrema importância e, como já dissemos acima, pode ser determinante para um paciente retornar, ou não, ao consultório.

Cabe à recepcionista recepcionar e atender os visitantes ou clientes de uma instituição.

As principais características de uma recepcionista devem ser:

  • Fluência verbal e boa dicção;
  • Paciência e bom humor;
  • Facilidade e gosto em lidar com o público;
  • Concentração e organização;
  • Administração de tempo.

Todas essas qualidades são fundamentais para quem pretende ser uma boa Recepcionista, principalmente, pelo fato de ser o primeiro  profissional com quem o paciente terá contato no consultório, quanto mais leve e agradável for a experiência, mais chances de o paciente retornar.

É preciso considerar que nem todo mundo realiza marcação de consultas por um agendamento online, nesse caso, terão que entrar em contato com a recepcionista para agendar um atendimento.

Ou seja, o paciente vai ligar para a clínica, verificar a disponibilidade de horários, esclarecer outras informações pertinentes, para depois comparecer.

Nesse meio tempo, o paciente pode estar cheio de dúvidas, nervoso e, portanto, cabe à recepcionista ter toda a paciência e tranquilidade para tirar toda e qualquer dúvida que possa surgir.

Ou seja, quem gerencia todo esse processo até a ida ao consultório, é a recepcionista.

E mais, por precisar lidar diariamente com o público, a recepcionista precisa saber se expressar com clareza, agir com tranquilidade e simpatia, cativando quem está do outro lado da linha ou quem acaba de chegar no consultório.

Entre as principais funções de uma recepcionista, podemos destacar:

  • Organizara entrada e saída de pacientes do consultório;
  • Cadastrar novos pacientes e gerar relatórios sobre suas atividades;
  • Prestar atendimento por telefone ou mensagens, auxiliando os pacientes e solucionando suas dúvidas;
  • Receber correspondências e materiais de fornecedores;
  • Manter a recepção organizada e agradável para os pacientes;
  • Estar atenta para oferecer um atendimento humanizado em todo momento.

Por tudo isso, podemos entender porque as recepcionistas são fundamentais em qualquer consultório, já que estão diretamente ligadas ao nível de satisfação dos pacientes, sendo muitas vezes responsáveis pela primeira impressão do consultório e, em muitos casos, determinante na hora de fidelizá-los.

A importância das Recepcionistas e secretárias nos consultórios

Se lhe indicarem algum profissional de uma determinada especialidade, você até for bem atendido pelo mesmo, mas a recepcionista não lhe atender bem, não passar algumas informações, errar seu cadastro, quais as chances de você marcar um retorno com esse profissional?

E assim é na maioria das vezes, pesquisas comprovam que a maioria dos pacientes não retorna, justamente, quando a experiência na recepção não é agradável.

Por isso, se pretende montar seu consultório, não subestime o papel das secretárias e recepcionistas, elas são pilares fundamentais para o bom funcionamento de qualquer consultório, e mais, podem ser uma ótima estratégia para conquistar e fidelizar pacientes.

No mais, é preciso saber que, mesmo com papéis diferentes, tanto a recepcionista como a secretária têm uma coisa em comum, que é a responsabilidade de oferecer ao paciente uma experiência agradável.

Certamente, cada consultório tem suas próprias características e realidade, por isso, nem sempre é possível ter duas pessoas responsáveis por essas tarefas, cabendo a uma só todas essas responsabilidades e funções.

Enfim, é de fundamental importância investir em profissionais capacitados para exercer funções tão estratégicas do atendimento, seja na função de secretária, ou de recepcionista, pois na maioria dos consultórios médicos, essas profissionais que fazem a prática da boa relação e interação com o paciente/cliente, sendo muitas vezes decisivas para seu retorno, ou não.

Como evitar erros comuns na hora de divulgar sua clínica

O mercado nunca esteve tão competitivo, e com o setor da saúde isso não é diferente. Nesse sentido, é obrigatório investir em marketing, ou seja, numa boa divulgação.

É preciso ter em mente que seu consultório, ou clínica, pode contar com equipamentos de ponta, e com os profissionais mais qualificados do setor, mas dificilmente conseguirá se destacar sem uma boa divulgação.

O problema é que, muitos profissionais da saúde ainda consideram o marketing algo complexo e oneroso, embora, na verdade, algumas simples e econômicas estratégias conseguem otimizar os resultados de seu consultório, ou clínica.

Quer divulgar sua clínica e ter um bom retorno? Então, confira abaixo nossas dicas!

Primeiro passo: invista em melhorias na sua clínica

Como dito acima, a concorrência está cada dia maior e, claro, os clientes/pacientes se tornaram muito mais exigentes, até mesmo, por terem mais acesso á informações, com a internet.

Dessa forma, embora a campanha de marketing seja primordial para o sucesso da sua clínica, mais importante ainda, é oferecer uma estrutura e atendimentos condizentes com toda a publicidade.

Atendimento

O atendimento é um quesito fundamental, até determinante para o sucesso de sua clínica, ou consultório, por isso, deve ser priorizado.

Portanto, é preciso investir em um atendimento de qualidade, personalizado e humanizado, e isso não apenas na consulta, deve vir desde a recepção. É fundamental que o paciente se sinta importante, saia de seu consultório satisfeito, retorne e ainda o recomende aos seus familiares e amigos, que é a chamada propaganda boca a boca.

Visual da clínica

Mas, antes de partir para a divulgação propriamente dita, é preciso pensar em outro item fundamental e, muitas vezes, deixado de lado: o visual da clínica.

Como está a fachada de sua clínica? Como está a sala de espera? As cadeiras são confortáveis?

É preciso ter em mente que uma fachada bem elaborada e atrativa, com o nome do negócio e informações de contato muito bem visíveis podem contribuir para chamar a atenção de futuros pacientes que passarem próximos ao local.

E, claro, a estrutura da clínica também deve ser moderna, acolhedora e atraente, com conforto térmico, sofás, ou cadeiras, confortáveis, café, revistas, televisão, tudo para que o paciente possa aguardar tranquilamente, e de forma confortável, pelo atendimento.

Equipe harmoniosa

Por último, mas nem por isso menos importante, e relacionada ao atendimento, temos na lista a equipe, que deve funcionar de forma mais harmoniosa possível, além de ser bem treinada para que o paciente se sinta sempre muito bem recebido.

Para isso, vale apostar em importantes pequenas ações, desde atender o paciente na recepção prontamente, mostrando boa vontade, simpatia e compreensão, respondendo possíveis dúvidas sobre seu atendimento, chamando-o pelo nome e demonstrando preocupação com seu bem-estar.

Próximo passo: o planejamento do marketing

Após identificar e restaurar possíveis falhas nos itens acima citados, aí sim, ´já podemos passar para o próximo passo, que é o início do planejamento do marketing.

Quer que sua clínica, ou consultório, cresça ou permaneça onde está?

Essa pergunta é muito importante para que possa iniciar o planejamento do marketing.

Pronto, já que resolveu se destacar no mercado, agora é preciso definir seus principais objetivos, ou seja, os resultados que pretende alcançar com sua divulgação (marketing).

Alguns dos objetivos mais comuns ao criar estratégias de marketing são:

  • atrair novos pacientes;
  • fidelizar seus pacientes;
  • se tonar referência em determinada área, ou especialidade, em sua região;

Atenção, é importante saber seus objetivos, para que possa definir suas ações nas próximas etapas do planejamento

Identifique seus pontos positivos

Procure identificar os motivos que possam atrair pessoas para seu consultório, ou seja, porquê escolheriam o seu consultório.

É fundamental identificar os pontos positivos da sua clínica, justamente para impulsioná-los e, ao mesmo tempo, minimizar o impacto dos pontos negativos.

E, claro, é fundamental conhecer a concorrência, assim como, o que ela faz para agradar os pacientes. Será que os profissionais são mais capacitados? Melhores tecnologias? Será que está melhor localizada?

Invista em bons profissionais de Marketing

Para que isso tudo possa dar resultado, no entanto, é preciso contar com bons profissionais de marketing, que saberão elaborar as melhores estratégias para sua clínica.

Certamente, isso não quer dizer simplesmente deixar nas mãos de terceiros, é preciso acompanhar de perto cada passo para que, justamente, toda a mensagem transmitida, cada conteúdo postado, enfim, tenha a sua cara, ou de sua clínica.

Acompanhe os resultados

resultado marketing

O último, mas não menos importante, passo, será acompanhar os resultados das estratégias e propagandas da sua clínica, para avaliar se elas estão sendo benéficas ou não, ou seja, se estão trazendo resultados reais.

Algumas vezes, no entanto, será preciso fazer alguns ajustes para, justamente, alinhar as estratégias com os objetivos definidos inicialmente.

Feito isso, basta focar nas estratégias que deram certo, implementar outras, enfim, tudo baseado em levantamentos e resultados.

No mais, confira abaixo algumas das principais estratégias para ajudar a divulgar seu consultório ou clínica.

Principais estratégias de divulgação de sua clínica

Agora que sabe que é preciso um planejamento e que nem todas as estratégias são consideradas positivas, confira abaixo algumas das melhores formas de divulgar sua clínica.

Não abra mão dos tradicionais cartões de visitas

erro na divulgação

Não é porque o marketing digital é mais popular e eficaz hoje em dia que deve abrir mão de outras formas mais tradicionais.

Ninguém tem dúvida de que propagandas invasivas, do tipo que “empurram” produtos para as pessoas já não são mais eficientes, porém, nem tudo que funcionava deve ser deixado de lado, como no caso dos cartões de visita.

Porém, embora funcionem, eles devem ser melhorados, ganhar um ar moderno e mais de acordo com a imagem que sua clínica quer passar.

Invista em um site

Não tem como se destacar sem ter presença digital, e para isso, é fundamental investir em um bom site, que seja visualmente atraente e com boa usabilidade, ou seja, que seja fácil de navegar, com informações bem legíveis e localizadas.

Embora o marketing de boca em boca seja muito importante, estar presente na internet faz com que sua clínica, ou consultório, tenha um alcance muito maior.

Por meio de técnicas de SEO (otimização de sites), conseguirá atrair cada vez mais pessoas para seu site.

Esteja presente nas redes sociais

E não podemos esquecer as redes sociais como uma das mais eficazes estratégias de marketing para médico do momento, uma potencial forma de divulgar sua clínica ou consultório.

É preciso descobrir onde seu público-alvo está e compartilhar conteúdo relevante.

Divulgue assuntos dentro de sua especialidade, desenvolva uma página atraente, oferecendo informações interessantes, pois postar conteúdos relevantes nas redes sociais é uma ótima estratégia de marketing, além de ajudar a se tornar referência em um determinado assunto, ganhando autoridade em sua área.

Algumas redes sociais, como o Facebook e Instagram, podem servir como canais de suporte, tanto para tirar possíveis dúvidas, como, até mesmo, para agendar consultas.

E mais, é possível, inclusive, investir em postagens patrocinadas, que funcionam como espécie de anúncio, nas mídias sociais, para alcançar um público ainda maior.

A dica é apostar naquelas postagens que ganharam mais curtidas e compartilhamentos, ou que acha que será de interesse de um grande número de pessoas. Pode ser tanto sobre dicas de saúde, como para tirar dúvidas, anunciar um endereço novo, enfim… e tudo sem grandes custos.

E não deixe de lado o whatsapp, embora não seja uma rede social, é um aplicativo super útil e prático, tanto para agendar consultas, tirar dúvidas, como para aproximar médico-paciente.

Fique atento ao código de Ética

É fundamental estar sempre atento ao código de ética, para evitar possíveis infrações no marketing da sua clínica.

Confira abaixo alguns exemplos de ações indevidas e que, claro, devem ser evitadas a todo custo, para que sua página não viole regras e a ética médica.

Erros que não deve cometer ao divulgar sua clínica

erros na hora de divulgar

Muitas vezes, sem paciência para aguardar o retorno natural das ações de marketing realizadas, alguns profissionais acabam “metendo os pés pelas mãos”, ou seja, apostando em uma divulgação completamente errada e que, mesmo que não imediatamente, vai acabar prejudicando sua imagem, ou de sua clínica.

Por isso, é tão importante apostar na cautela e em estratégias de marketing que, comprovadamente, vão oferecer bons resultados.

Dentre os erros mais comuns, podemos citar:

Anunciar título que não possui

Não só título, mas também, anunciar uma falsa especialidade ou que não seja devidamente reconhecida pelo CFO, para tratar pacientes é proibido e antiético e sujeito a punições.

Fazer propaganda enganosa

Nem precisa ser, necessariamente, propaganda enganosa, mas se possibilitar interpretação dúbia, isso pode virar um grande problema em qualquer profissão, e fica ainda mais sério quando o profissional envolvido é da área da saúde, com implicações ainda mais severas.

Logo, todo cuidado é pouco quando envolver sua imagem, ou de sua clínica, com marcas e produtos. E até mesmo que o anúncio não tenha sido criado pela sua clínica, poderá ser penalizado só por ter seu nome associado à determinada marca ou produto.

Anunciar de forma errada a aquisição de determinados equipamentos

Investir em aparelhos de alta tecnologia e qualidade para seu consultório só tem a lhe favorecer, no entanto, existem formas de anunciar a novidade, como falando das inúmeras vantagens de uma estrutura mais moderna e de qualidade.

Ou seja, em vez de se vangloriar pela compra do equipamento, pode criar um post de conteúdo relevante falando sobre os equipamentos mais atuais e suas vantagens em relação aos modelos mais antigos.

Compartilhar intimidade ou dado dos pacientes

Compartilhar publicamente fotos de pacientes ou de tratamentos são ações consideradas infrações éticas, por isso, todo cuidado é pouco com o marketing nas redes sociais.

Pacientes não devem ser expostos no intuito de promover um profissional, devendo se utilizar outros meios para este fim.

Divulgar informações que prejudiquem outro profissional

Você pode não concordar com algum tratamento de outro profissional, alguma forma de agir ou linha seguida, claro que isso não é errado, porém, o que não pode, é divulgar publicamente observações ou fazer comentários negativos sobre a atuação de um colega.

No final das contas, acredite, quem sairá perdendo, em todos os sentidos é você, que faltou com a ética.

Anunciar técnicas ou tratamentos ainda não comprovados cientificamente

Se mostrar em dia com as novidades não é problema algum, muito pelo contrário, isso mostra que é um profissional que busca estar sempre atualizado, seja sobre novos medicamentos, procedimentos, técnicas.

Porém, antes de realizar qualquer técnica nova ou divulgar algum tratamento ou terapia, deve ficar atento às evidências científicas sobre os novos tratamentos.

Certamente, o mesmo vale para novos equipamentos, que devem ser devidamente registrados pelos órgãos competentes.

Invista em marketing para médicos

Quando falamos em divulgação, hoje em dia, falamos em Marketing, principalmente o Digital, que é focado na internet e fundamental atualmente.

É raro alguém procurar por algum serviço, produto, endereço, que não faça isso usando o motor de busca do Google, por isso, é de extrema importância colocar sua clínica, ou consultório, numa vitrine virtual, ou seja, na internet.

Também é impossível falar em Marketing digital sem associá-lo às redes sociais, já que elas são atualmente a principal estratégia para atrair novos pacientes.

Por isso tudo, é fundamental investir em um bom trabalho de marketing médico, colocá-lo nas mãos de profissionais experientes que farão elevar seu nome, ou de sua clínica, trabalhando corretamente o conteúdo, criando postagens que irão aproximar você de seus pacientes.

 

Enfim, essas são nossas dicas de como acertar nas estratégias de marketing,  evitando erros comuns na hora de divulgar sua clínica, ou consultório, e assim, construir um caminho de conquistas e sucesso.

Dicas ao escrever um post para Instagram

Nesse mundo, cada vez mais digital, todos os setores tiveram que se adaptar e, assim, claro, o da saúde não iria ficar de fora.

Porém, ao contrário de alguns anos atrás, não basta mais apenas ter um site, é preciso, também, investir em conteúdo.

Mas, claro, no caso da área da saúde, toda cautela é pouca na hora de compartilhar conteúdo, os mesmos devem evitar sensacionalismo, autopromoção e mercantilização da medicina.

No mais, vale saber que o Marketing de Conteúdo é uma das estratégias mais eficientes e com um menor custo. Por isso, vem ganhando cada vez mais espaço entre os profissionais da medicina.

No Instagram, os conteúdos devem ter o objetivo de aumentar o engajamento e a imagem do consultório para um público cada vez mais exigente e que gosta de interagir.

Ainda tem dúvida de como destacar sua clínica ou consultório no Instagram?  Então, confira abaixo como conseguir se destacar na sua especialidade e garantir sucesso com suas publicações.

Por que apostar no Instagram?

Não é de hoje que as redes sociais são muito utilizadas no mundo inteiro e no Brasil isso não é diferente, na verdade, o país, de acordo com um estudo, é o terceiro no ranking de quem passa mais tempo na internet, gastando cerca de 3h por dia nas redes sociais.

O Instagram ainda vem em segundo lugar como a rede social favorita, depois do Facebook, porém, já caminha para a primeira colocação, com 57 milhões de usuários ativos nessa plataforma.

Por isso, já que, provavelmente, a maior parte de seus potenciais pacientes utiliza o Instagram para se atualizar, ou se distraír, por que não aproveitar para divulgar seu trabalho?

No mais, vale saber que o Instagram é uma rede que oferece flexibilidade e praticidade na hora de construir sua estratégia de marketing digital, com tudo podendo ser feito de forma prática e rápida, do próprio celular e ainda contando com uma infinidade de recursos audiovisuais.

De apresentar seus serviços, promover ações, tirar dúvidas, anunciar novo endereço, enfim, tudo pode ser feito através do Instagram.

Sem dúvida, não apostar no Instagram é subestimar uma potencial forma de atrair novos clientes/pacientes, e você, claro, não quer isso, não é mesmo?

Enfim, o Instagram  cresce de forma assustadora e exponencial, e segundo especialistas em marketing, oferece resultados bastante efetivos, já que a disseminação dos posts é a mais alta se comparada com as outras redes sociais. Por isso, se quer se tornar referência no seu setor, ganhar autoridade e conquistar novos clientes/pacientes, apostar no Instagram é fundamental.

Por que o Marketing de Conteúdo é importante?

Por que o Marketing de Conteúdo é importante?

Primeiramente, é preciso considerar que a forma de divulgar, hoje em dia, mudou muito, ou seja, o marketing tradicional não tem mais o mesmo efeito sobre as pessoas.

O mundo mudou, as pessoas têm mais acesso à informação e, consequentemente, estão mais exigentes.

Não adianta mais fazer lavagem cerebral impondo a aquisição de produtos ou serviços, as pessoas querem escolher sozinhas, através de informações sobre os mesmos.

Nesse sentido, o Marketing de Conteúdo é a estratégia que atende a essa nova realidade.

Ou seja, um Marketing de Conteúdo bem feito faz com que o cliente/paciente chegue até você de uma forma mais natural, sem se sentirem bombardeados por uma comunicação excessiva, por exemplo, tentando converncer que sua clínica é a melhor do setor, e coisa e tal.

É preciso entender que, atualmente, o público busca se informar muito bem antes de se decidir por um produto, serviço ou profissional, isso sem falar que ele é bem mais esclarecido que o público de antes, pois tem acesso livre, com a internet, a todo tipo de informação.

Ou seja, isso significa que é preciso atrair pelo conteúdo, pela qualidade do conteúdo oferecido, levando relevância para os seus seguidores, e assim, conquistando novos clientes/pacientes, ganhando autoridade e os fidelizando.

Quais são os seus objetivos?

Agora que já sabe que as redes sociais são, atualmente, quase que obrigatórias para quem quer ter presença digital, e sabe que seus público alvo provavelmente está no Instagram, é preciso saber onde você pretende chegar com suas postagens.

O que você deseja com esta rede social? Pretende elevar o seu nome ou da sua clínica dentro da especialidade médica? Quer receber mais pacientes para consultas? Busca aumentar a sua autoridade sobre um determinado assunto?

Escolhido o objetivo, estabeleça e priorize metas, depois é só trabalhar em cima delas.

Você sabe qual é o seu público?

Antes de começar a elaborar uma boa estratégia de marketing para o Instagram, é fundamental que saiba qual é o seu público?

Afinal, como vai oferecer um conteúdo se não sabe quem vai ler? É fundamental saber para quem está comunicando para que possa oferecer conteúdos relevantes, para que haja identificação das postagens com o dia a dia dos seus pacientes.

De nada vai adiantar oferecer conhecimentos muitos técnicos, por exemplo, dificultando não só a leitura como a compreensão e interesse pela postagem.

É preciso elaborar conteúdos que seja de interesse das pessoas, que elas possam aproveitar em seu dia a dia, em uma linguagem mais informal e pessoal.

Lembrando que quanto mais relevante e interessante for o conteúdo, mas chances terá de criar interação e compartilhamento.

Confira abaixo algumas

Tipos de conteúdo para o Instagram

Tipos de conteúdo para o Instagram

Agora que já sabe que é importante ter presença digital e que o Instagram é uma ótima maneira de se aproximar de seu público, é preciso acertar na hora de escolher o tipo de conteúdo que irá publicar, o qual, como já foi dito, deve ser relevante. Confira abaixo alguns exemplos de conteúdos para médicos.

Esclarecer dúvidas comuns dos pacientes

Que tal usar o seu espaço, que pode ser de grande alcance, para tirar aquelas dúvidas mais comuns de seus pacientes? Claro, de acordo com sua especialização.

Nesse sentido, precisa considerar os questionamentos mais frequentes no seu consultório, ou clínica, pois provavelmente, muitos pacientes devem chegar até você com perguntas muito comuns que podem ser transformadas em postagens na sua página.

Sem dúvida, é uma boa forma de educar sobre determinados temas da sua especialidade e ainda poupar o tempo que levaria esclarecendo sobre os mesmos no seu consultório.

Por exemplo, postar sobre questionamentos do tipo: “Por que não interromper um tratamento com antibiótico, mesmo depois de sentir-se melhor?” ou “O que a tireoide pode causar se não for tratada?” ou.”Por que se automedicar pode ser perigoso?, entre outros”

Dicas de cuidados antes e pós consultas

Existe uma série de informações que são passadas aos pacientes antes de exame ou procedimento, que são extremamente importantes e muito procuradas na Internet. Então, porque não usar seu espaço para oferecer informações sobre determinados cuidados, no antes e pós.

Dessa forma, criar conteúdos como, por exemplo, “Quanto tempo deve ficar em jejum antes de um procedimento?, ou “Por que não deve tomar determinado medicamento antes de algum exame”, “Que cuidados deve tomar após uma Cirurgia de varizes?”. Enfim, dúvidas muito comuns e procuradas pelos pacientes na internet.

Sugestões para uma vida mais saudável

Certamente, todo profissional da saúde pode criar conteúdos sobre os benefícios de levar uma vida saudável. Não importa o ramo da especialização, sempre é possível pautar sobre a alimentação, sedentarismo e estilo equilibrado.

Vale saber que esse tipo de conteúdo costuma agradar uma grande parte dos usuários, por isso, mostrar dicas de como levar o dia a dia de forma mais saudável é sempre ótima maneira de atrair leitores (clientes/pacientes), gerando resultados positivos para sua estratégia.

Como estruturar o conteúdo do Instagram?

Então, não basta apenas focar em conteúdos informativos, é preciso também saber como estruturá-los no Instagram, justamente para que ele seja adequado ao seu público-alvo. Quer saber como estruturar seu conteúdo? Confira abaixo algumas dicas.

·       Responda dúvidas

É preciso ter em mente que o algoritmo do Instagram é muito inteligente, por isso, postagens com conteúdos mais relevantes, como aquelas respondendo questionamentos populares, são sempre levados em consideração na hora de analisar o que será mostrado no feed de cada usuário, aumentando o alcance, engajamento e visibilidade.

Portanto, pesquise  sobre as dúvidas dos pacientes, e vale apelar para o motor de busca do Google para isso.

·       Invista em textos mais diretos e curtos

Os internautas, de uma forma geral, não gostam de perder muito tempo com leitura, ou seja, não gostam de textos grandes.

Outro fator a considerar é relacionado às legendas, quanto mais curtas e diretas, mais chances do leitor continuar até o fim.

Por isso, aposte em tópicos de, no máximo, 3 linhas ,e vale também usar algumas palavras destacadas em caixa alta.

·       Defina a linguagem

Um erro muito comum é achar que usar termos técnicos ou rebuscados estará mostrando autoridade em um determinado assunto. Na verdade, é o contrário. Quanto mais poder explicar simplificando a linguagem, mais estará se aproximando do seu público e mostrando autoridade, fazendo com que, realmente, entendam.

Certamente, embora mais informal, usar gírias e exagerar na informalidade não é muito apropriado e nem profissional.

·       Produza interatividade

Não há dúvida de que o maior objetivo com as postagens é levar ao compartilhamento e á interatividade. Ou seja, oferecer um conteúdo informativo que gere algum tipo de ação no seguidor como, por exemplo, com uma pergunta na postagem, para que eles se sintam à vontade para responder.

Vale perguntar se o leitor tem alguma dúvida ou sugestão, ou então, peça para que marquem amigos.

Estratégias para oferecer um conteúdo mais dinâmico e atraente

conteudo marketing instagram

Embora a frequência de postagens no seu perfil seja de extrema importância para o engajamento, se o mesmo oferecer diariamente conteúdos muito parecidos, isso pode fazer com que sua página se torne cansativa, desinteressante e, assim, perder seguidores.

Por isso, uma boa estratégia para ter um perfil médico popular no Instagram é oferecer diversidade e conteúdos relevantes para o seu público.

Então, para que possa garantir esse dinamismo nas suas postagens, a dica é criar linhas de conteúdo que abordam informações relevantes.

Confira abaixo uma divisão básica de linhas de conteúdos que podem ser úteis para médicos de todas as especialidades:

  • Informe sobre sua especialidade, procedimentos e exames realizados;
  • Disponibilize meios de contato, horários de atendimento e como marcar uma consulta;
  • Ofereça dicas de autocuidados;
  • Mostre seus conhecimento sobre sua especialidade;
  • Conte sua jornada, um pouco do que viveu, histórias interessantes até chegar onde chegou;
  • Mostre o dia a dia profissional e da clínica, mostrando o outro lado que ninguém vê;
  • Anuncie a chegada de novos equipamentos;
  • Mostre um pouco do seu lado família, pois isso humaniza e o aproximará de seu público;
  • Compartilhe participações suas em congressos, treinamentos, ações sociais, etc.

Pronto, com as suas linhas de conteúdo organizadas, agora é só procurar ser o mais consistente possível, usar sua criatividade e postar com frequência!

Utilize todos os recursos do Instagram

Alguns médicos se preocupam apenas com as postagens no feed, na verdade, o Instagram oferece diversos recursos para que a comunicação possa ser mais dinâmica e atraente.

Uma dica, por exemplo, é procurar utilizar com frequência os Stories, organize seu perfil com os destaques.

Coloque em destaque seus serviços, locais de atendimento, perguntas e respostas, dicas de saúde, etc.

Use sua criatividade na elaboração de Stories, pois é um ótimo recurso para aproximar médicos e pacientes.

E os recursos não param por aí, vale apostar no canal IGTV, que são vídeos que pode gravar e ajudar a aumentar ainda mais o engajamento da sua audiência.

E não podemos esquecer da possibilidade de promover alguma postagem dentro dessa rede social, o que pode atrair muitos seguidores.

Uma dica é escolher alguma postagem, com dicas de saúde por exemplo, ou tirando alguma dúvida, dentro de sua especialidade, e que tenha recebido muitas curtidas e que, provavelmente, ao ser promovida, irá fazer com que ganhe muito mais seguidores.

No mais, embora o Instagram permita que qualquer um possa administra uma página, a dica é deixá-la nas mãos de quem entende, ou seja, de profissionais que trabalham com marketing médico, que saberão como tirar o melhor proveito possível dessa poderosa ferramenta de marketing.

Limites do marketing médico

Sem dúvida, o marketing médico é uma importante e fundamental estratégia para que o profissional da saúde possa mostrar o seu valor e os seus diferenciais, dessa forma, atraindo e fidelizando seus pacientes.

Porém, é bom lembrar que para que seja uma estratégia assertiva, e consiga alcançar uma boa reputação, é essencial seguir algumas regras estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Ou seja, é fundamental ter muita cautela com os tipos de postagens que irá realizar, já que existem diversas restrições, e alguns tipos de comunicação podem gerar penalizações.

 

No mais, vale ter em mente que oferecer conteúdo informativo no Instagram realmente pode fazer toda a diferença no trabalho de Marketing realizado, não apenas para conseguir atrair novos clientes/pacientes, mas de os educar melhor quanto à importância de cuidar bem da saúde.

 

6 Dicas fundamentais para você atrair consultas particulares

Não sabe mais o que fazer para aumentar o número de consultas particulares da sua clínica? Saiba que você não está sozinho.

Muitos médicos investem tempo e dinheiro montando um consultório super charmoso e moderno, com tudo o que há de mais novo no mercado, achando que isso já vai ser o suficiente, mesmo que não tão rapidamente, para atrair pacientes.

A verdade é que o setor da saúde nunca esteve tão competitivo, e ainda existem as opções de convênios, diminuindo ainda mais as chances de atrair pacientes particulares.

A boa notícia, no entanto, é que existem algumas estratégias voltadas para atrair pacientes e fidelizá-los, quer conhecer algumas delas? Então, continue lendo esse artigo, com importantes dicas para você atrair consultas particulares!

1. Conhecer seu público-alvo

publico alvo consultas particulares

Será que você conhece o seu público-alvo? Sabe sua faixa etária, profissão, sexo, entre outros detalhes que vão contribuir para traçar o perfil exato daqueles que têm interesse nos seus serviços?

Saiba que conhecer o seu público-alvo é fundamental para atrair mais pacientes, poder trabalhar com objetivos concretos e satisfazê-los.

Uma dica interessante, por exemplo, é estar presente nas redes sociais para que seus pacientes possam lhe conhecer e saber o que você oferece.

2. Estimular a propaganda boca a boca

propaganda consultas

Jamais subestime a propaganda boca a boca, desde que o mundo é mundo, ela é a mais valiosa forma de trazer novos pacientes, e isso porque é natural, vem como resultado de um bom trabalho.

Porém, apesar de ser a estratégia mais antiga, ela também é a que demora mais a dar retorno.

Sem dúvida, ainda deve ser usada para atrair novos pacientes,  convencer potenciais pacientes a escolherem os seus serviços.

É preciso ter em mente que sempre que alguém tem uma boa experiência com um serviço ou profissional, naturalmente essa pessoa irá indicar a seus conhecidos e amigos.

E quando se trata de um bom profissional da saúde, isso ainda é mais usual e, portanto, deve ter em mente que um atendimento de qualidade pode ser um ótimo incentivo para esse tipo de divulgação.

3. Atender alguns convênios

convenios para consultas particulares

O assunto aqui é atrair consultas particulares, mas embora os ganhos trabalhando com convênios sejam insuficientes, com a maior parte do lucro ficando com a empresa do plano de saúde, essa parceria pode ser interessante, principalmente, para quem está em início de carreira.

Acredite, trabalhar com convênios pode, sim, ser uma boa estratégia para atrair clientes particulares ou ampliar a cartela de pacientes. Afinal, esses pacientes ajudarão na divulgação dos seus serviços e, quando satisfeitos, poderão continuar sendo seus pacientes, mesmo que passe a só atender consultas particulares.

4. Investir em Marketing

E como qualquer negócio, uma clínica ou consultório particular, precisam ser divulgados, e para isso, hoje em dia, é preciso apostar em marketing, e suas estratégias.

Essas estratégias ajudarão a fortalecer a imagem da sua clínica, ou consultório, no mercado, mostrando seus diferenciais a aproximando você do seu público-alvo, ajudando a fortalecer a relação, ou seja, fidelizar o “cliente”, e tudo de uma forma natural e positiva.

Mas, afinal, quais seriam essas estratégias?

·       Marketing digital

Quer ter presença digital? Então, é preciso apostar em marketing digital, uma fundamental e atual estratégia para conquistar a atenção do público-alvo e ganhar a sua confiança.

O marketing digital utiliza as diferentes possibilidades da internet para divulgar seu consultório ou clínica e, assim, conseguir atrair mais pacientes de uma forma natural, eficiente e bem mais econômica.

Além de um site oficial mostrando sua especialidade, ou os serviços oferecidos pela sua clínica e contatos, você deve investir em perfis nas principais redes sociais.

Também, vale apostar em um blog (pode ser dentro do site), onde poderá criar e compartilhar conteúdos ricos, educativos e de qualidade, dessa forma, ganhando autoridade e credibilidade.

Por fim, mas não menos importante, muito pelo contrário, é preciso apostar nas redes sociais, até porque, atualmente, os brasileiros passam em média entre 3 e 4 horas por dia nas redes sociais, por isso, é tão importante marcar presença neste mercado.

Atualmente, as principais redes sociais são Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e LinkedIn, e todas elas permitem criar um vínculo mais reforçado com seus pacientes, apostando em conteúdos relevantes e de interesse dentro de sua especialidade.

Sem dúvida, as redes sociais facilitam a aproximação com os pacientes, através de curtidas, comentários e compartilhamentos, podendo conversar diretamente com eles, solucionar suas dúvidas, criar vínculos de empatia, ajudando a conquistar autoridade como profissional.

·       Marketing offline

Embora o marketing digital, atualmente, seja o mais eficaz, econômico e até “obrigatório” para quem tem qualquer forma de empreendimento, o bom e tradicional marketing offline não deve ser deixado de lado.

O marketing offline pode ser muito eficaz na hora de alcançar novos pacientes numa mesma região, por exemplo, com anúncios em panfletos, jornais, etc.

E não se esqueça do velho e eficaz cartão de visita, com seu nome,

especialidades, número de registro no conselho profissional e as principais formas de contato.

E, claro, como já foi dito, vale investir em panfletos, que costumam apresentar bom resultado, e devem conter informações como procedimentos e fotos das instalações do seu consultório ou clínica.

A dica, portanto, é usar as duas estratégias, ou seja, investir em marketing digital, mas sem abrir mão do marketing offline.

5. Disponibilizar canais de comunicação eficientes

E, claro, nenhum negócio sobrevive (sim, seu consultório ou clínica é um negócio) sem bons canais de comunicação, justamente, para que o seu público-alvo não encontre dificuldades para entrar em contato com você, ou seja, seu consultório, ou clínica, tirando dúvidas e realizando agendamentos.

Bons e eficazes canais de comunicação são fundamentais para que vocês possam criar um bom relacionamento, garantindo mais segurança para ambas as partes, tanto no que diz respeito à confirmação da consulta, quanto à qualidade do atendimento prestado.

Mas, para que os canais de comunicação funcionem, os tipos de atendimento precisam ser diversificados, principalmente, nesse mundo cada vez mais veloz em que vivemos, ou seja, precisam oferecer autonomia, dinamismo e muita qualidade, da forma mais prática possível.

Principais tipos de atendimento:

  • Presencial
  • Telefone
  • Email
  • Chat
  • Redes Sociais
  • Chatbots nas redes sociais (os famosos inbox, ou mensagens diretas, dentro do Facebook, Instagram…)
  • Whatsapp (a forma mais utilizada atualmente)

6. Mantenha o relacionamento com o paciente

Não basta atrair, é preciso fidelizar, e isso quando se trata da relação médico paciente, ainda é outro ponto indispensável a se considerar.

Ou seja, é fundamental investir em um bom “pós-consulta”, apostando em atitudes que visam manter o relacionamento com seu paciente.

Tenha em mente que ao manter quem já chegou até seu consultório, provavelmente, irá atrair indicações do mesmo.

Para isso, basta se mostrar interessado, fazendo com que o paciente se sinta importante, acompanhando o progresso do atendimento, por exemplo, orientando sua secretária para fazer um contato telefônico, para descobrir como o paciente está se sentindo após algum procedimento.

Depois, de forma estratégica, enviar cartões ou e-mail de felicitações em datas festivas, como aniversários, Natal e ano-novo.

Outra dica é avisar ao paciente que a data de retorno dele está chegando, assim,  além de demonstrar que você se preocupa com sua saúde, o ajuda a se lembrar do compromisso que tem com você.

 

E é isso, atrair consultas particulares realmente, não é uma tarefa tão simples, não acontece da noite para o dia, mas com dedicação e seguindo essas dicas, com certeza, em pouco tempo conseguirá conquistar novos e ainda fidelizar pacientes.

 

 

Paciente ou cliente: entenda o caminho percorrido até virar paciente

Você sabe a diferença entre paciente e cliente? Será que esse termo significa a mesma coisa? Sabia que essa é uma dúvida muito comum? Também tem dúvida? Então, continue lendo esse artigo!

Se por muito tempo considerar um paciente como cliente era algo ultrajante para a classe médica, evitando-se fazer a associação entre um e outro, ultimamente, isso vem sendo reconsiderado e desmistificado pela classe médica.

Mas, afinal, será que é importante diferenciar um paciente de um cliente?

Na verdade, é importante saber o porquê do termo, ainda, ser evitado por grande parte dos médicos, tanto que existe até um estudo, divulgado pela SciELO (Scientific Electronic Library Online), mencionando a importância de entendermos a diferença entre cliente e paciente.

Muito além de uma questão semântica, esses termos podem levar a diferentes maneiras de olhar e de compreender o atendimento, principalmente, na hora de fidelizar mais pacientes.

Principais diferenças entre paciente e cliente

Principais diferenças entre paciente e cliente

Ainda preferido pela maioria dos médicos, o termo “paciente” consegue passar uma imagem de relação mais humanizada, e menos comercial, do que cliente.

Mas, apesar de ser o mais utilizado, esse termo também levanta algumas polêmicas, como sua origem, que vem do Latim, patiens, de Patior, que significa sofrer, além de passar uma ideia de passividade, de pessoa que apenas espera o profissional de saúde, alguém totalmente dependente.

Enquanto, o termo cliente, por outro lado, sugere mais autonomia para as pessoas que utilizam o serviço de saúde, considerando a consulta mais como um serviço prestado e, assim, se tornando agentes do seu próprio cuidado com a saúde.

A verdade é que não há como ignorar o receio de muitos médicos em utilizar o termo cliente, principalmente, pela associação do termo cliente com comércio e, dessa forma, acabar passando a imagem do atendimento em algo meramente comercial.

Contudo, vale ressaltar que não há um termo mais certo ou errado, principalmente, porque não há um consenso entre os próprios médicos.

Mas, há sim, como diferenciar a hora de falar e tratar de um paciente com a hora de tratar de um cliente.

Na verdade, todo atendimento médico deve ser o mais ético e profissional possível, pensado no PACIENTE.

paciente x cliente

Enquanto, por outro lado, fatores internos e externos extra atendimento, que permeiam a relação entre médico e paciente, devem ser voltados para o CLIENTE.

Assim sendo, dentro do consultório você atende pacientes, do consultório para fora, você atende clientes.

Isto é, enquanto o atendimento em si, no consultório médico, trata um paciente, por outro lado, o atendimento telefônico, a sala de espera, a recepção, a cobrança, trata com um cliente.

Então, preciso escolher entre um termo ou outro?

Ainda é muito grande a resistência por parte de muitos médicos em adotar o termo cliente, pelos motivos já abordados acima, dentre eles, o do termo paciente ser mais simpático e passar uma imagem menos comercial, porém, os termos “paciente” e “cliente” podem ser usados para se referir a mesma pessoa.

Uma dica, para não associar o termo cliente a algo comercial, é associá-lo  aos momentos antes de chegar ao consultório aí, então, deixará de ser cliente para ser paciente .

Quando um cliente vira paciente?

quando cliente vira paciente?

Nenhum paciente aparece de uma hora para outra em seu consultório, ele teve que passar por algumas etapas até chegar até você.

Então, a pessoa que pesquisou na internet, agendou e pagou uma consulta é sua cliente, mas se torna paciente a partir do momento que entra em seu consultório.

Para que entenda melhor, confira abaixo o passo a passo do caminho percorrido de um cliente para virar paciente!

1. O cliente descobre você

Seja pelo boca a boca, pesquisando na internet, ou através de um bom trabalho de marketing (fundamental hoje em dia), usando redes sociais, sites, blogs, enfim, o cliente consegue descobrir você.

2. O cliente marca a consulta

Mesmo que uma pessoa marque uma consulta, ela ainda não pode ser considerada sua paciente mas, sim, um cliente.

Ou seja, um cliente precisa ser conquistado e atraído para o seu consultório para, só então, se tornar seu paciente.

3. O cliente chega à clínica

Esse momento é fundamental, pois é nessa hora que se dará o primeiro contato físico do cliente com o seu estabelecimento, para que ele venha se tornar um paciente é preciso que seja bem atendido, que se sinta confortável e não tenha que passar horas aguardando a consulta.

4. O paciente entra no consultório

Agora sim, o cliente se tornou paciente, ao entrar no seu consultório.

Essa é o momento de oferecer uma consulta humanizada para ele que, agora, é seu paciente, e que necessita dos seus cuidados médicos e orientações, e não mais apenas um cliente pagando por um serviço.

5. Contato pós-consulta com o paciente

Pronto, a partir da consulta, aquela pessoa será seu paciente, a não ser na hora de efetuar o pagamento ou marcar consulta com a atendente.

E quem pretende fidelizar o paciente a hora é essa, no momento pós-consulta, onde a atenção e o carinho vão fazer toda a diferença, com mensagens mais informais e maior proximidade.

A importância do cliente

É preciso considerar, porém, que não há um termo certo ou errado, o principal a ter em mente é oferecer uma experiência incrível para seus clientes ou pacientes.

Embora profissionais de saúde prefiram ainda se referir às pessoas que atendem como pacientes, é preciso considerar o outro lado da questão.

Vimos que até, de fato, uma pessoa ser considerada paciente, antes, precisa ser cliente. E nesse mercado, cada vez mais competitivo, é preciso também trabalhar “o cliente”. Ou seja, saber fazer com que ele venha a se tornar seu paciente.

Mas como fazer isso? A resposta é: investindo numa boa administração!

Infelizmente, nem todos os consultórios investem em uma administração, ou seja, voltada para o cliente, se preocupando apenas com o paciente, esquecendo que eles também são a fonte do seu sustento.

É preciso dar a mesma atenção que dedica ao paciente, também, ao cliente!

Quando um médico olha para o seu consultório apenas como um lugar para tratar doentes, ele pode até se preocupar em manter-se atualizado tecnicamente em sua profissão mas, provavelmente, estará deixando de lado detalhes igualmente importantes como: conforto, ambiente, tratamento dado pelas recepcionistas e qualidade no atendimento como um todo.

É preciso entender que o mercado está muito competitivo, um médico, seja da especialidade que for, precisa saber como chegar até esses potenciais clientes/pacientes, e para isso, além de contar com uma ótima gestão, precisa, também, investir em divulgação, e é aí que entra o trabalho de marketing, fundamental para quem pretende conquistar clientes/pacientes.

O papel do marketing

Já vimos que é importante saber diferenciar os termos cliente e paciente, assim como, entender o real significado de cada um deles, também já sabemos que uma boa administração vai proporcionar ao cliente o melhor atendimento possível, agora vamos descobrir porquê apostar em marketing para médicos é fundamental.

Possuir uma presença digital hoje em dia é obrigatório para quem não quer ficar para trás, e isso em qualquer ramo de atividade, na medicina não é diferente.

Se você não está na internet, você não existe. Acredite, hoje é assim que as coisas funcionam. As pessoas buscam por qualquer serviço, dúvida, profissional, na internet.

Por isso, é fundamental o papel do marketing, pois ele vai saber encontrar e conquistar clientes, ou seja, pacientes em potencial.

É preciso considerar que ter o conhecimento dentro de sua área de atuação, saber realizar um diagnóstico, entregar uma receita é o mínimo que se espera de todo médico, para se destacar nesse mercado super competitivo, é preciso oferecer ao cliente/paciente uma experiência que só você pode oferecer.

E já vimos que essa experiência do cliente/paciente começa fora do seu consultório, com um bom trabalho de marketing, até chegar à marcação de consulta e, finalmente, ao seu atendimento.

Atualmente, o profissional da saúde já percebeu a importância de investir  em gestão, qualidade e, também, em marketing. Afinal, de que adianta ser “o maior especialista do planeta”, se ninguém souber quem é você?

A dica, no entanto, é procurar profissionais de marketing experientes que vão fazer com que as pessoas conheçam seu trabalho através de sites, blogs, redes sociais, artigos, enfim, vão saber trabalhar seu nome, ou de sua clínica.

A boa notícia é que, atualmente, existem até agências online, com ótima reputação no mercado, como, por exemplo, a DNA Marketing Médico, as quais oferecem opções para todos os bolsos e necessidades.

Enfim, vale entender a importância do cliente, de que é preciso investir não apenas no conhecimento da medicina, mas também na forma de atrair clientes para que venham a se tornar, então, pacientes.

Como montar um consultório de Cardiologia

Muitos profissionais da saúde, inclusive cardiologistas, sonham em ter seu próprio consultório, para melhor atender seus pacientes, ter mais autonomia e uma boa oportunidade para se destacar em sua especialidade médica.

Mas… infelizmente, os cursos de Medicina não oferecem disciplinas de gestão e administração, e abrir um consultório não é tarefa das mais simples.

Porém, se está decidido a montar seu próprio consultório, saiba que então deixará de ser apenas um médico, para ser um médico empreendedor e, como tal, se envolver com questões legais e burocráticas, além de precisar de muita dedicação e planejamento.

Justamente, para facilitar todo esse processo, elaboramos um passo a passo detalhado com tudo o que precisa saber para poder abrir seu próprio consultório de cardiologia. Confira!

Cardiologia

A cardiologia é um ramo da medicina responsável por estudar, cuidar e tratar o coração e os vasos sanguíneos, ou seja, cuida do coração e do sistema circulatório.

Muita gente não sabe, mas as doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes no mundo, segundo a Organização Pan Americana de Saúde, 31% das mortes em nível global são causadas por doenças cardiovasculares.

Esses dados só demonstram o quanto precisamos de consultórios de cardiologia focados em entregar um ótimo atendimento.

Porém, montar um consultório significa muito mais do que estar capacitado para atender os pacientes, pois é preciso investir tempo e dinheiro, contar com ferramentas modernas e efetivas que ajudem no acompanhamento dos pacientes.

E não é só isso, ainda existem leis, éticas, normas e outras tantas burocracias que devem ser seguidas para conseguir ter seu próprio consultório.

Mas calma, mostraremos agora os principais passos para que você possa montar o seu consultório de cardiologia.

Passo a passo para abrir seu consultório de Cardiologia

consultório de Cardiologia

Atualmente, em um mercado tão concorrido como o da medicina, se pretende se destacar em sua especialidade, não basta apenas ser um excelente médico, é preciso também ser um ótimo administrador, assim como, saber divulgar seu diferencial, e é nisso que iremos lhe ajudar agora.

Quer montar seu consultório de cardiologia e ter seu próprio local de trabalho? Então, confira esse passo a passo!

1. Escolha a localização adequada

localização escritório de cardiologia

O que para alguns pode parecer besteira, na verdade, pode ser  determinante para o sucesso de seu consultório: a escolha do local. É preciso considerar alguns fatores, tais como: seu público-alvo, se possui estacionamento, se é de fácil acesso.

Se pretende fidelizar pacientes que atende através de convênio, a dica, então, é procurar montar seu consultório perto de postos de saúde, de grandes centros urbanos.

Mas, se o que pretende é atrair pacientes particulares, a dica, nesse caso,  é focar em regiões frequentadas pelas classes A e B.

No mais, só não deixe de considerar se há outros consultórios, ou clínicas, com o mesmo perfil, instalados na região, já que isso pode ser um sinal de que sua especialidade já está sendo oferecida de forma suficiente na região.

2. Acerte na escolha do imóvel

Tanto quanto escolher uma boa localização, é preciso também acertar na escolha do imóvel, até porque sua estrutura é um dos investimentos que normalmente mais pesam na hora de abrir seu negócio (SM, isso é um negóco).

Basicamente, a estrutura do imóvel deve abrigar um espaço para a uma recepção, ter banheiros, e, dependendo do que pretende oferecer, mais de uma sala de atendimento.

De preferência, a dica é escolher um imóvel que permita criar espaços como uma copa, para sua equipe de colaboradores.

É muito importante, também, que não esqueça de garantir acessibilidade, inclusive para pessoas com deficiências, idosos, entre outros, muitos médicos esquecem desse detalhe (que pode fazer toda a diferença) e acabam alugando espaços em prédios antigos que, muitas vezes, nem elevador oferecem.

No mais, se certifique de que a estrutura do imóvel esteja seguindo as normas exigidas pelos órgãos regularizadores como a Anvisa.

3. Defina a categoria do seu atendimento

Para quem não sabe, a ANS (Agência Nacional de Saúde) divide os estabelecimentos médicos em 54 categorias, por isso, é preciso saber em qual delas irá atuar para poder abrir seu consultório.

Confira abaixo quais as 3 categorias mais comuns:

cardiologista

  • Clínica médica popular: oferece serviços médicos voltados para o público que não possui um plano de saúde particular. Geralmente, esse tipo de clínica apresenta um crescimento muito rápido do número de pacientes;
  • Consultório com até duas especialidades médicas: são clínicas e consultórios com até dois profissionais da saúde de especialidades diferentes trabalhando como sócios. É muito comum entre fisioterapeutas e acupunturistas, entre outros;
  • Clínica geral com procedimentos médicos simples:voltada para os estabelecimentos que priorizam realizar procedimentos médicos, com disponibilidade de materiais, insumos e medicamentos, além de profissionais especializados para fornecer o atendimento mais adequado.

Lembrando que é muito importante saber exatamente a categoria que seu consultório se encaixa, até para quando for declarar o imposto de renda.

E atenção, pesquise essa classificação não apenas no âmbito da ANS, mas também no tributário, justamente, para conseguir fazer um melhor planejamento dos próximos impostos que serão cobrados.

4. Regularize o consultório

Se certifique, antes de efetivamente abrir seu consultório, de que está atendendo todas as exigências legais e sanitaristas, ou seja, de que possui todos os documentos exigidos por órgãos como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Dentre outros documentos pedidos está uma cópia do seu contrato social, comprovante do recolhimento de taxa, relação dos procedimentos técnicos que serão executados, entre outros.

Além de obter todos os documentos necessários, você também precisa estar atento a todas as exigências do CFM (Conselho Federal de Medicina) e do Corpo de Bombeiros.

Mas, para obter um funcionamento legal e seguro, será preciso buscar uma série de autorizações, advindas, por exemplo, do corpo de bombeiros, da Vigilância Sanitária e de outros órgãos da prefeitura (pode variar de cidade para cidade), assim como, do registro do consultório enquanto pessoa jurídica (CNPJ).

A dica é contar com um contador de confiança para cuidar das questões burocráticas e fiscais, principalmente, alguém que tenha familiaridade com a área de saúde.

Confira abaixo as principais exigências para legalizar o seu consultório:

  • Cadastro Estadual de Vigilância Sanitária:contém os dados de um estabelecimento ligado à saúde, sendo preciso que um dos profissionais, ao menos, conste como responsável técnico do consultório;
  • Cadastro no CNES: um registro obrigatório que todos os estabelecimentos que oferecem serviços relacionados à área da saúde devem possuir.
  • Licença de Funcionamento:obtida pelo órgão de saúde competente (a nível municipal), permitindo o funcionamento de estabelecimentos que desenvolvam atividades de acordo com a legislação sanitária vigente.  Assim que der entrada ao pedido, é preciso apresentar um laudo técnico de avaliação do imóvel.

Importante: o licenciamento deve ser renovado anualmente.

5. Faça um levantamento de custos

Acredite, erros banais e que poderiam ser evitados, são responsáveis por muitos fechamentos de negócios. E é preciso encarar, SIM, o seu consultório ou clínica como um negócio, o que exige uma boa gestão e uma administração responsável, atitudes que, infelizmente, faltam em muitos profissionais da saúde.

Mas, o problema é que, como já mencionamos nesse artigo, geralmente, os médicos não são preparados para serem profissionais empreendedores.

Por isso, é preciso dar muita atenção à essas questões burocráticas, de gestão e administração, e se essa não for, definitivamente a sua praia, então, considere contratar um profissional para realizar esses serviços.

Vale considerar, também, a possibilidade de ter um software de gestão, que pode ser de grande ajuda para quem não tem condições de arcar com as despesas de um funcionário só para realizar a gestão e administração do seu consultório.

  • Parte burocrática

Quanto aos custos, propriamente dito, primeiramente, é preciso procurar saber exatamente quanto será o custo de abertura do consultório, assim como, o investimento que deverá ser feito para garantir seu funcionamento até que as consultas tragam um lucro, ou seja, com funcionários e a rotina do seu negócio.

Também será preciso estabelecer quantas consultas pretende fazer por dia, levando em conta dois pontos importantes: tempo e dinheiro. Faça o cálculo de quanto tempo pretende trabalhar diariamente e qual tempo pensa em oferecer como duração média de uma consulta.

Não esqueça que a espera dos pacientes é uma das principais queixas e um dos motivos de não retornarem. Por isso, é importante investir em uma boa administração.

É importante ter em mente que leva um certo tempo para o consultório conseguir se manter sozinho e ainda trazer um bom retorno, por isso, é preciso se certificar de que você realmente pode fazer esse tipo de investimento agora.

  • Equipe

Nos custos, você terá que incluir uma recepcionista, a qual irá lhe ajudar a organizar o dia a dia da clínica, agendar e registrar as consultas.

Também deverá incluir enfermeiros (caso precise), funcionários de limpeza, entre outros.

Ou seja, na hora de fazer o planejamento de custos, não esqueça de colocar esses profissionais na lista.

E, claro, será preciso saber sobre direitos trabalhistas, evitando problemas legais e garantindo um ambiente harmonioso entre toda a equipe.

  • Estrutura

estrutura cardio

Na hora de pensar na estrutura de seu consultório, é preciso analisar os exames que pretende oferecer, pelo menos, os mais comuns dentro da cardologia.

Assim, fica mais fácil identificar aqueles que pode disponibilizar no seu consultório, claro, aumentando as chances de atrair mais pacientes.

Dentre os mais comuns estão o eletrocardiograma, o ecocardiograma e a coronariografia.

Caso ache puxado oferecer todos eles, considere, a princípio oferecer só  eletrocardiograma e terceirizar os demais serviços, já que, apesar de básico, ele pode ser um dos mais viáveis de você disponibilizar em seu consultório.

Pronto, agora é analisar as possibilidades, aqueles que poderá disponibilizar no consultório, de preferência, que ajudariam a destacá-lo da concorrência.

  • Materiais

materiais cardio

Na lista de custos não podem ficar de fora os materiais que serão necessários para oferecer um bom atendimento aos seus pacientes.

A dica é procurar fornecedores confiáveis, que ofereçam equipamentos de qualidade, para poder garantir aos pacientes o melhor diagnóstico possível.

E, claro, os materiais para escritório deverão constar na lista, desde sofá ou cadeiras confortáveis, balcão ou mesa da recepção, computadores, sua mesa e cadeira.

  • Decoração e programação visual

Sabe aquela máxima “a primeira impressão é a que fica”? Então, a decoração é a primeiro contato visual que seus pacientes terão com seu consultório, ou clínica, por isso, não deixe de investir em uma boa decoração.

A dica é investir em uma boa programação visual, para que tudo siga uma mesma linha, ajudando a consolidar sua marca.

Nesse sentido, vale considerar sua logo e seu público-alvo na hora de decorar seu consultório, certamente, levando em conta o conforto do mobiliário.

  • Divulgação

E mais, ao planejar sua gestão, lembre-se de ter uma reserva financeira para suportar os custos fixos na fase inicial, na qual existe menos retorno, não esquecendo de separar uma parte do dinheiro para investir na divulgação, já que para atrair mais pacientes terá que investir em marketing (como veremos abaixo).

6. Invista em Marketing

marketing médico: cardiologia

Atualmente quando falamos em divulgação, estamos falando em Marketing. Ele vai se encarregar de trabalhar sua presença digital, fundamental nos dias de hoje.

Hoje em dia, quem procura por algum serviço ou produto, primeiramente, busca no Google, por isso, é fundamental colocar seu consultório numa vitrine virtual, ou seja, na internet.

Também é muito importante trabalhar na identidade visual do seu consultório, para que ele seja facilmente identificado, para isso, é preciso se valer de elementos como logos, cores, decoração, para que tudo esteja em harmonia.

Por exemplo, o logo do seu consultório, ou clínica, irá lhe representar, no receituário-, cartões de agendamento, uniforme de funcionários, materiais personalizados, sites e redes sociais e etc.

E, claro, é impossível hoje falar em Marketing sem associá-lo às redes sociais, já que elas vêm se mostrando cada vez mais importantes no processo de atração de novos pacientes.

Ou seja, um bom trabalho de marketing irá saber levar seu negócio para as principais redes, como Facebook ou Instagram, enfim, na que seu público-alvo estará. E saberá trabalhar o conteúdo, atualizando-a e criando postagens que irão aproximar você (seu consultório) de seus pacientes.

Porém, vale prestar muita atenção nessa hora, pois é preciso  se atentar às limites do marketing médico segundo as exigências do CFM.  Ou seja, mesmo estando em dia com as normas e leis, é preciso usar as redes sociais com muita cautela.

A dica, portanto, é entregar essa parte nas mãos de pessoas capacitadas para fazer esse trabalho, existindo muitas opções, para todos os bolsos e necessidades, atualmente, no mercado.

 

Enfim, essas são nossas dicas de como montar um consultório de Cardiologia, esperamos que aproveite e tenha muito sucesso!

× Chat WhatsApp