fbpx

Projeto de arquitetura para clínicas médicas: como começar

Sonha em construir sua própria clínica? Como é sua clínica dos sonhos? Certamente é bonita, confortável para que seus pacientes queiram voltar e recomendar a seus amigos, não é mesmo?

Pois bem, mas projetar uma clínica não é tão simples assim como parece, por isso mesmo, essa parte de projetar, reformar ou decorar as instalações de uma clínica médica, deve ficar nas mãos de quem entende do assunto, ou seja , de um arquiteto, e isso vale para consultórios também.

Apenas um arquiteto, com sua experiência e criatividade, saberá transformar um local em um ambiente bonito, confortável e funcional.

Da iluminação e mobiliário adequados às rotinas específicas, com cores e materiais apropriados, até a mobilidade e praticidade de um bom posicionamento de salas, bancadas, armários e móveis e, claro, com a escolha de belos complementos decorativos, como vasos, quadros e enfeites.

Como podemos ver, são muitos itens a considerar, até mesmo a especialidade,  por exemplo, no caso de uma clínica voltada ao diagnóstico por imagem, com tecnologia de ponta, toda a arquitetura da fachada, assim como, dos espaços, devem transmitir essa ideia.

E como se não bastassem os muitos detalhes envolvidos, é preciso ter em mente que todo o projeto deverá atender às diversas regulamentações, desde vigilância sanitária, passando por bombeiros, ocupação do solo, e conselhos profissionais.

Desanimou? Nada disso, embora começar uma clínica do zero não seja tarefa das mais fáceis, também não é nenhum bicho de sete cabeças, e é isso que mostraremos a seguir, um passo a passo de como começar seu projeto de arquitetura para clínicas médicas.

Escolhendo o Arquiteto

Escolhendo o arquiteto para sua clínica

O primeiro passo é procurar um arquiteto, mas atenção, tem que ser um profissional com experiência em projetos para Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS).

Somente um arquiteto “hospitalar” saberá transformar seus sonhos numa solução possível, funcional, humanizada, de acordo com a legislação, dentro do seu orçamento e ainda com ideias e estratégias que somente alguém com experiência pode oferecer.

Mas, claro, um arquiteto, por mais experiente que seja, não poderá fazer milagres, nem adivinhar o que está querendo, muito menos fazer ao gosto dele, é preciso que mostre um desenho, pode ser um rabisco, nada muito profissional, mas para que ele entenda o que você deseja.

O importante é ter em mente que, quando o assunto é decorar, reformar ou projetar as instalações de uma clínica médica, é preciso contratar um arquiteto, e isso vale também para pequenos consultórios, onde o desafio de montar uma boa estrutura pode ser ainda maior.

Definindo o projeto de arquitetura

projeto de arquitetura da clínica

Mostre em um esboço, já existem até programas que fazem isso, como deve ser a distribuição do espaço de sua clínica no papel, listando os ambientes que deve ter, conectando-os uns aos outros da maneira mais apropriada.

Lembre-se de que se trata de uma clínica médica e que, portanto, há dois aspectos fundamentais a considerar:

Conforto

É fundamental reservar um espaço amplo para os médicos poderem trabalhar, que seja funcional e seguro. Ou seja, o espaço destinado para o atendimento médico deve ser amplo e confortável.

Dessa forma, ao escolher os móveis é preciso considerar o espaço que irão ocupar, não deixando de considerar o espaço de portas, armários e gavetas ao serem abertas.

Privacidade

E um outro aspecto também não deve ser subestimado na hora de projetar a distribuição dos espaços: a privacidade dos pacientes.

É preciso ter em mente que eles vão à clínica em momentos delicados, sendo fundamental o respeito à sua privacidade.

Por isso, se certifique de dividir os espaços de forma a garantir a privacidade de cada paciente, para que ninguém fora daquele espaço possa ouvir ou ver quem estiver sendo atendido.

A escolha dos materiais

Pronto, você já definiu a distribuição do espaço, agora chegou a hora de escolher os materiais com os quais criará os diferentes ambientes de sua clínica.

Embora o mais comum seja optar por paredes de tijolos, isso não quer dizer que não possa usar outros materiais, que aliás, vem sendo cada vez mais usados, justamente, para levantar paredes quase sem nenhuma obra e com um preço bem mais reduzido.

Mas, atenção, caso opte por painéis deste tipo, é preciso se certificar de que sejam totalmente compatíveis com a proteção da privacidade do paciente. Nesse sentido, a dica é evitar painéis transparentes ou translúcidos.

E não é só isso, ainda dentro da questão da privacidade, é preciso se certificar de que o painel escolhido impeça a passagem de ruídos, evitando que pessoas próximas ouçam a conversa entre o paciente e o médico.

Considere os obstáculos arquitetônicos

A acessibilidade é um direito de todo cidadão e, se tratando de um centro médico, isso deve ser ainda mais considerado. Por isso, antes mesmo de abrir qualquer estabelecimento, procure se certificar sobre possíveis obstáculos arquitetônicos.

Como os centros médicos são um espaço que muito provavelmente será frequentado por pessoas com problemas de mobilidade, essa deve ser uma questão a se levar em conta.

Nesse sentido, veja a possibilidade de investir em uma rampa no acesso principal para facilitar a entrada de idosos ou cadeirantes, com uma passagem larga e segura.

Ainda dentro do quesito acessibilidade, se certifique de que os banheiros sejam um espaço inclusivo, amplos e de fácil acesso.

Questões a considerar ao planejar sua clínica

Algumas questões devem ser exploradas antes de levar seu esboço do projeto, propriamente dito. São informações que, mesmo que em um primeiro momento possam parecer irrelevantes, vão fazer toda a diferença no planejamento do espaço.

Por exemplo, a faixa etária de seus pacientes, o tipo de atendimento, no caso de um consultório ginecológico, o espaço terá que dispor de sanitário privativo e espaço com privacidade diferenciada na área de exames.

Já, no caso de um consultório de odontologia, o espaço é bem específico, pois um consultório do dentista precisa de instalações especiais, por exemplo, contar com salas de lavagem e esterilização de materiais, contar com espaço e compartimentos para resíduos…

Ou seja, é preciso passar todos os detalhes sobre a sua clínica, o que pretende oferecer, pois são informações que o arquiteto precisa para poder atender suas necessidades e realizar seu sonho de uma clínica ideal.

De uma forma generalizada, uma clínica de médio porte, por exemplo, deve comportar uma recepção, consultórios com área de atendimento e, se for o caso, de exames, 1 sala para o departamento administrativo, 1 almoxarifado, 1 copa e sanitários.

É preciso entender o projeto de arquitetura para clínicas como um grande quebra-cabeça, de muitas peças, o qual incluiu também pequenos detalhes, dependendo do que a clínica irá oferecer, que fazem uma grande diferença no resultado final, contribuindo para melhorar a experiência de todos os usuários, sejam pacientes, acompanhantes, médicos, funcionários ou fornecedores.

Enfim, deixe bem clara todas as questões e necessidades, antes de procurar o arquiteto, dessa forma, garantirá uma elaboração do projeto mais ágil e tranquila, assim como, a execução da obra, propriamente dita.

Cuidados e dicas ao projetar clínicas médicas

cuidados e dicas ao projetar a clinica medica

Dentre os muitos aspectos a serem considerados ao se projetar uma clínica médica, vamos destacar 5 cuidados fundamentais, que vão fazer toda a diferença na funcionalidade e conforto do ambiente:

Setorização e Tráfego

Para organizar o espaço e facilitar a circulação de pessoas, é preciso definir com muita cautela o posicionamento das salas e áreas de circulação, considerando o uso e a rotina da equipe.

Um exemplo básico seria deixar na área central a recepção, a sala de espera e os sanitários masculino e feminino, ao lado esquerdo criar dois consultórios no direito as salas de tratamento, administração e a copa.

Acústica e Privacidade

Como já foi dito, preservar a privacidade dos pacientes deve ser prioridade, para isso existem várias estratégias, por exemplo, na hora de dividir as salas, para garantir um ótimo isolamento acústico entre elas, a dica é investir em um drywall com recheio de lã de rocha.

Outra estratégia é instalar som ambiente na recepção, pois além de ajudar a relaxar, a música irá ajudar a garantir mais privacidade aos consultórios.

Higiene e Limpeza

É preciso considerar que a higiene é fundamental sempre, ainda mais em um ambiente médico.

Como numa clínica, geralmente, todos os ambientes são intensamente utilizados ao longo do dia, para facilitar a limpeza e assegurar a higiene, uma dica é revestir paredes com porcelanato, eliminando, também, a necessidade de pintura anual; ou ainda, usar papel vinílico, que também facilita a limpeza, além de auxiliar na absorção do som.

Nos estofados, vale investir em tecidos resistentes e laváveis, garantindo maior durabilidade.

Para o piso, a dica é investir em porcelanato retificado polido, muito prático de manter.

Iluminação, Elétrica e Rede

Se possível, vale apelar para luz natural em ambientes como recepção ou sala de espera, mas tendo em mente que cada ambiente deverá receber um tipo de iluminação específica, de acordo com as necessidades inerentes à cada local.

Salas de exame e tratamento, por exemplo, precisam ser bastante claras, por isso, vale investir em luminárias que permitam o trabalho minucioso dos médicos, além de não alterarem as cores e não incomodarem os pacientes.

É preciso colocar no projeto todos os pontos elétricos para os equipamentos, geralmente muitos, além da rede de comunicação entre os computadores, internet, tv, ar condicionado, etc.

Ergonomia e Mobilidade

Ao projetar uma clínica médica é preciso pensar na acessibilidade, com rampas de acesso na entrada, corredores, passagens e portas mais largas.

Na sala de espera vale apostar em poltronas individuais firmes e com braços, para facilitar o movimento de pessoas com dificuldade de mobilidade, ou idosas, durante o ato de sentar e levantar.

Conclusão

Antes de procurar um arquiteto para começar a projetar sua clínica, é fundamental ter uma ideia clara do que você deseja.

E mais, para garantir que não ocorram erros, vale ainda colocar as ideias todas no papel, antes de começar a fazer as obras, e se puder, com direito a rabisco da planta do centro médico, ou consultório.

Aí, então, já com o rabisco da planta em mãos, já pode procurar o aconselhamento de um profissional, que saberá lhe ajudar a distribuir o espaço de uma forma mais adequada.

Não se esqueça de priorizar a privacidade e o conforto dos pacientes, garantindo acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.

Também, é preciso que sejam levadas em conta as condições do local, se for muito antigo, por exemplo, pode ter limitações estruturais, havendo, nesse caso, a necessidade de fazer algumas mudanças no layout; outra limitação pode ter a ver com o entorno do local, já que dependendo do caso, isso pode dificultar a entrada de luz natural.

Outra dica é se basear na própria especialização médica dos profissionais da clínica para incluir elementos no projeto de arquitetura e design de interiores.

Enfim, esses são alguns cuidados importantes na hora de projetar sua clínica ou consultório, agora é só analisá-los com muita cautela para poder chegar a um resultado mais próximo possível da clínica de seus sonhos.

FICOU ALGUMA DÚVIDA SOBRE PROSPECÇÃO DE PACIENTES? AGENDE UM BATE-PAPO SEM COMPROMISSO.

× Chat WhatsApp